27.9.13

Resenha: Calisto


Calisto - L. E. Haubert
208 páginas

 
"A morte do caçador é a chave da sobrevivência para a caça."


Calisto é o primeiro livro da Trilogia da Meia-Noite, escrita por L. E. Haubert, e narra a história de Draco, Lucas e Kalí em sua saga para destruir as cinco insígnias que podem trazer de volta os tempos mais sombrios que Arrarock já viu.

O livro é narrado, na maior parte, através da visão de Draco e Lucas, mas também há capítulos dedicados a Volker, o vilão, e a Corvina. Gosto muito dessa divisão de capítulos, bem estilo George R. R. Martin, pois é uma forma de termos conhecimento dos vários lados de uma mesma situação.

Draco é um rapaz calmo e gentil, abandonado pelo pai quando bebê e criado pela mãe, uma camponesa chamada Joanne. Certo dia, ao entrar a floresta para caçar, Draco se deparou com um objeto brilhando no fundo de um lago. Ao pegá-lo, o rapaz foi tomado por uma dor imensa e quando seu corpo começou a sofrer estranhas alterações ele percebeu que agora estava irreversivelmente ligado ao objeto. Como se não bastassem as mutações, Draco descobre que seu passado é muito diferente daquilo que lhe contaram, e que seu futuro é mais perigoso do que ele poderia, algum dia, imaginar.
Lucas vivia sozinho, dedicando seus dias a queimar sua imagem praticando pequenos delitos, o que o impediu de conseguir emprego em qualquer lugar de Nalfo. Porém, ao encontrar Niége, um dragão, percebeu que sua vida nunca mais seria a mesma. Coisas estranhas começam a acontecer, até que ele é presenteado com um cristal muito poderoso.
A partir daí o destino de Draco e Lucas se veem ligados e eles partem em busca por nada mais, nada menos que a salvação da humanidade.

Durante a leitura percebi claramente a influência de Rowling e Tolkien na escrita de L. E. Haubert. As insígnias, por exemplo, me pareceram um misto de Relíquias da Morte (Harry Potter) com o Um Anel (O Senhor dos Anéis).
A trama é criativa e ambiciosa, com personagens interessantes e uma surpresa no final, mas, só pra ser um pouco chata, achei que a narrativa ficou confusa em alguns momentos, o que pode ter acontecido pela inexperiência da autora. Contudo, pelo que percebi, ela tem potencial para corrigir as pequenas falhas que ocorreram no próximo volume, que, aliás, já está na minha estante esperando sua vez de ser lido!
Dentre as coisas que mais gostei na história, Volker ocupa o primeiro lugar. O vilão criado por Haubert é realmente odioso. E olha que a gente só vê um pouquinho dele nesse livro... Já fico imaginando como ele ainda vai me matar de raiva até o fim da trilogia.

Resumindo tudo isso, Calisto é de leitura fácil, com um vocabulário rico mas que não cai no exagero, a história é interessante, a divisão de capítulos é feita da minha forma preferida (por personagens), e os personagens estão sendo aprofundados aos poucos.
Posso dizer que a avaliação final é positiva, né?! Sendo assim, tá recomendado!

8 comentários:

  1. Hey Michelly, tudo bem?
    Quero muito ler esse livro, já vi várias resenhas positivas, acho que vou gostar! Capítulos divididos pelo ponto de vista de personagens diferentes é tudo de bom! Também é meu estilo de narração favorito! Ah, a sua resenha ficou muito boa!
    Beijocas,
    Cindy, Livros e Piratas. Visite o blog! c:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Cindy! Adoro capítulos por personagem, a gente tem uma visão mais ampla da história!

      Excluir
  2. Resenha muito boa, Mi! Eu não entendo o título desse livro (deve ter alguma coisa com a história, né?) e também pela capa não me chama muita atenção.
    Beijos!

    Café com Leituras!
    http://cafecomleiturasneriana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calisto é um lugar, Neri. O próximo chama Sohuem, e também é um lugar. Eu gosto dessa capa! É meio misteriosa... hehe

      Excluir
  3. Não conhecia esse livro, mas adorei a resenha e já fiquei com vontade de ler.
    As influências de Senhor do Aneis e Harry Potter, para mim, já contaram um ponto a mais.
    Ótima resenha.

    Beijos,
    Bell

    http://contosdoguerreiro.blogspot.com.br/ ( se puder segue lá)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As duas sagas são incríveis, né Bell?! Eu tb adoro! :)

      Excluir
  4. Mais uma ótima resenha, Michelly, parabéns.
    Bom, acho que esse não seria meu tipo de livro se olhasse somente a capa ou pela sinopse mas já que tu mencionaste o Tolkien acho que vale realmente a pena a leitura, procurarei esse livro, uma vez que Tolkien criou um universo para isso mesmo, servir de inspiração.
    E gosto também dos capítulos separados por personagens, como por exemplo "Crônicas de Gelo e Fogo".
    Um abraço!
    Ótimo final de semana!
    Um guarda-livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Rodolfo. senti uma forte influência desses dois autores durante a leitura, e eu adoro os dois!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...