20.12.13

Resenha: O Teorema Katherine


O Teorema Katherine - John Green
304 páginas


"Qual o sentido de estar vivo se você nem ao menos tenta fazer algo extraordinário? Que estranho acreditar que um Deus lhe deu a vida e, ao mesmo tempo, achar que a vida não espera de você nada mais que ficar vendo TV."


Na primeira vez que vi O Teorema Katherine, achei a sinopse interessante, mas me apaixonei mesmo foi pela capa. Como ainda não havia lido nada do famoso John Green, e, na época, não tinha a mínima vontade de ler ACEDE, resolvi me aventurar na história das Katherines. Comecei a ler e não gostei. Então achei melhor guardar para tentar ler em um outro momento. Enquanto ia lendo outros livros, fui acompanhando o boom de resenhas de ACEDE que foi surgindo, o que acabou me deixando tão curiosa que comprei o outro livro de Green. Aconteceu que me apaixonei perdidamente pela história de Hazel e Gus, por isso achei que já era hora de ler mais coisas do autor e dei uma segunda chance para Teorema. Infelizmente, continuei achando muito chato e parei de novo.
Algum tempo depois, me aventurei no meu primeiro desafio literário, o qual uma das metas era ler um livro que comecei mas não terminei. Qual título eu escolhi? O Teorema Katherine! Enrolei o máximo que pude, deixei ele por último, mas chegou um momento que não dava mais pra fugir. Assim, finalmente, li a história de Colin e suas Katherines.

Ufa! Minha saga particular contada, vamos ao livro!

O Teorema Katherine conta a história de Colin e suas 19 ex-namoradas, todas chamadas Katherine. Não Cathy, ou Katty, ou, muito menos, Catherine, mas sim K-A-T-H-E-R-I-N-E. Colin está amargando o fim do seu relacionamento com a 19ª Katherine quando seu melhor amigo, Hassan, propõe uma viagem de carro, sem destino certo, para ver se conseguia alegrar o garoto.
Além dos problemas em sua vida amorosa, Colin tinha outros motivos para se preocupar. Ele era um prodígio, porém ainda não tinha feito nada para se tornar um gênio. Segundo o próprio, um prodígio aprende rápido, mas só os gênios realizam, e era isso que ele queria.
Colin parte para a viagem com Hassan, carregando consigo a tristeza pela perda da K19 e a preocupação por talvez nunca realizar algo relevante para o mundo. No meio do passeio, eles acabam indo parar em uma cidadezinha chamada Gutshot, onde conhecem Lindsey e alguns amigos da garota, inclusive seu namorado, que também se chama Colin. Lá, eles também são apresentados à Holly, mãe de Lindsey, que lhes oferece um emprego. Colin e Hassan resolvem aceitar a proposta e ficam hospedados na casa de Lindsey. A partir daí os três começam a formar uma forte amizade.

Durante o tempo que os garotos permanecem em Gutshot, alguns segredos são descobertos e nós vamos acompanhando as reações de cada um a cada novo acontecimento. É nessa fase também que Colin tem seu momento eureca e decide construir um teorema com base nos seus 19 namoros fracassados. Certas coisas me surpreenderam, outras nem tanto, mas, com certeza, tenho que parabenizar a escrita de Green, que continua hilária e muito fluida.
Aí você pensa: mas você não tinha achado o livro uma chatice só? Tinha, nas duas primeiras tentativas. Na terceira vez a leitura foi muito diferente, e, mesmo não sendo um dos melhores livros que já li na vida, cheguei até a me divertir com o enredo, tanto que li em dois dias. Acho que isso tem a ver com o momento que você decide ler uma história. Antes eu não estava no clima, dessa vez rolou!
O final é previsível, mas eu gostei. Os personagens são simpáticos e, ao contrário do que já li por aí, não achei o Colin chato. O que ficou um pouco chato é o excesso de matemática durante a narrativa. A ideia de construir uma fórmula capaz de prever quem vai ser o terminante e quem vai ser o terminado em um relacionamento é até bacana, mas houve um excesso de explicações sobre cada fase da construção desse teorema que achei desnecessário.

Se você está interessado, saiba que O Teorema Katherine não é um livro nada complexo, pelo contrário, traz uma história bem simples mas bem contada e com momentos que irão fazer você rir. Não chega aos pés de ACEDE, mas, para mim, foi o suficiente para despertar a vontade de ler outros trabalhos do autor. Então podem esperar que logo virá mais John Green por aí!

25 comentários:

  1. Oi Michelly!

    Eu comprei esse livro, mas ainda não li. Achei super certo você ter parado duas vezes de lê-lo, uma vez que não estava gostando naquele momento. Imagino que se tivesse forçado a leitura, iria fazer uma outra resenha!

    Beijos.
    http://arianaviajante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Não consigo me imaginar lendo Green! Já tentei ler ACEDE, mas não passei da página 80, talvez fosse o momento, mas é que eu não gosto muito de romance, mas estou trabalhando para gostar, embora eu ache desnecessário.
    Boa resenha!
    PS: Para a resenha ficar mais perfeita, leia a vigésima primeira linha inteira de "Na primeira vez.."
    Bjs

    GabryelFellipeealgo.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Byel! Não entendi o que vc quis dizer no seu PS... Li o texto todo e percebi que escrevi "incluisve" no lugar de "inclusive", mas já consertei. Era isso?

      Excluir
    2. Foi isso mesmo! Agora tá tudo perfeito! RsRs

      Excluir
  3. O meu chegou essa semana e estou louca para lê-lo, será minha leitura de ferias. Tenho expectativa por que já li ACEDE e Will e Will e gostei bastante. ^^

    http://amolivrosdeverdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quero ler Will e Will, mas antes vou ler Cidades de Papel...

      Excluir
  4. John Green causa muita divisão entre seus leitores. Muitos preferem o ACEDA, outros, o Teorema. Li esse achando que fosse um livro nerd, mas não achei. Na verdade, desisti muitas vezes de começar a lê-lo, ainda pensei em ler Cidades de Papel, mas perdi a vontade. A resenha foi muito bem explicativa.

    casarvore.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu prefiro ACEDE, sem dúvidas, mas Teorema tb é bonitinho! :) Semana que vem tem resenha de ACEDE aqui no blog :)

      Excluir
  5. Esse livro está na meta de leitura do ano que vem, eu espero gostar dele haha. Também gosto dessa capa e acho a sinopse bem interessante. Por enquanto estou lendo Cidades de Papel e gostando bastante. Mas ACEDE continua sendo o meu livro preferido do John Green e acho que vai ser bem difícil mudar isso. (:

    Gloria, Leitura e Pipoca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cidades tá na minha meta do ano que vem, Glorinha! Trocamos! :)

      Excluir
  6. Oi Michelly,
    esse foi o unico livro do João Verde que li até agora e eu adorei!! Achei tão meiga e simples.. É uma história fofa e com algumas doses de nerdices, concorda?!

    Ganhei A Culpa e pretendo ler nessas férias! Adorei sua resenha! ( :

    Abraço
    Bom fim de semana ;)

    Adriano
    http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/ (Passa lá, depois ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei o João Verde! kkkkk... Eu chamo o Jon Snow de João das Neves, mas nunca pensei que o John Green era João Verde! Como assim?!

      Excluir
  7. Oi Mi eu gosto do John Green mas achei o Terorema de Katherine muito massante em certas partes principalmente qdo eles falavam entres eles, e toda aquelas tabelas pra quem detesta matemática como eu não curti!
    Mas continuo gostando do autor rsrsrs
    bjkas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb achei chato as partes da matemática, mas dos diálogos eu gostei, Dani!

      Excluir
  8. oi Mizinha. rs Sei estou no post da resenha, mas na verdade eu quero é dizer que amei ter te conhecido em 2013 e te-la como parceira, o blog me proporciona muitas alegrias, quando vejo comentários por lá assim como o seu. *.*
    Desejo um Feliz Natal e ótimo ano novo, que 2014 possamos ainda trocar muitos e muitos mais recadinhos e ler muitos livros. hahaha
    Não te conheço pessoalmente, mas quem sabe na bienal desse ano né?

    Valeu Mi.
    Desejo sucesso
    Bjo da sua parceira
    Luh Costa- bisbiblogando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô Lu, que lindo! Muito obrigada pelo carinho de sempre e quero que saiba que tb adorei te conhecer, mesmo que seja só no mundo virtual, por enquanto! Boas festas pra vc tb, e que 2014 seja um ano de muito sucesso pra gente! :)

      Excluir
  9. Oi Michelly.
    A proposta desse livro não me atrai, por mais resenhas que eu leia não consigo ter interesse por ele.
    Quanto a questão do momento certo pra fazer determinada leitura é fato, já passei por isso, tem época que a leitura não flui, mas no momento certo ela nos pega de jeito.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Paty! O segredo é o momento certo! hehe

      Excluir
  10. Que pena que vc não gostou do livro tanto quanto eu :(
    Boa resenha!

    bjs
    whoisllara.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não amei, mas tb não odiei... Achei legal! :)

      Excluir
  11. Essa capa é um mimo! Uma amiga leu e não gostou, então desanimei :/
    Ta na lista, quem sabe um dia me animo e leio! hahahaha

    beijos <3
    http://bloglostinwords.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ótimo texto de resenha. Meus parabéns! Amei a maneira que vc usou para se expressar, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura...a capa do livro é linda ela traz o universo como tema.
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=78725243

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...