20.4.14

Um dedo de prosa...

O que você acha dos preços dos livros no Brasil?

O primeiro impulso quando vejo essa pergunta é dizer que são abusivos, ainda mais se for considerar as doutrinas de Direito que tenho que comprar às vezes e que destroem completamente meu orçamento. Contudo, ao parar pra pensar somente nos livros de ficção eu diria que há os dois lados da moeda. Há, sim, livros bem caros, mas também há aqueles com preços justos. Tudo depende da ótica.

Se for comparar com o mercado editorial dos EUA, por exemplo, chegaremos à conclusão de que os brasileiros deveriam pagar menos por suas leituras. Porém, o fato de o Brasil apresentar preços maiores com relação a outros países pode ser explicado, mesmo que parcialmente, pela questão do número de tiragens em cada lugar. Enquanto nos EUA, que foi meu exemplo, a tiragem média de uma obra é de 10 mil exemplares, no nosso amado país é de 2 mil. Aí já fica fácil visualizar o problema, né? Um mercado que consome poucos livros tende a inflacionar os preços. Isso porque as editoras precisam lucrar o suficiente para pagar os custos de produção e diminuir os prejuízos com relação às obras que ficam encalhadas.

Outra questão que aumenta o preço dos livros são os impostos. Mas os livros não têm imunidade tributária, Michelly? Têm sim, mas as editoras não.
Explicando melhor: tal imunidade só abrange os impostos circulatórios, o ICMS e o IPI. Mesmo assim os livros são tributados segundo os lucros auferidos pelas editoras, por isso o valor varia de acordo com o desempenho dessas empresas. De acordo com o tributarista Paulo Antônio Mariano, "o leitor de um hipotético livro com preço de R$ 100, cuja editora tenha lucro médio de 15% e fature menos de R$ 48 milhões por ano, está deixando R$ 2,28 com o governo ao adquirir o volume". Logo, é óbvio que as editoras levam isso em consideração na hora de cobrar por seus exemplares.

Eu, pessoalmente, acredito que o problema do preço dos livros não é nem uma questão de números, mas sim da renda da população brasileira que, em geral, é baixa. Se for pensar, R$30 por um exemplar é um valor justo, ainda mais levando em consideração os custos que as editoras têm para produzí-lo. Porém, se pensarmos em uma família cuja renda mensal é um salário mínimo, R$30 é uma quantia absurda para ser gasta com um livro, pois as pessoas têm necessidades básicas, como alimentação, que precisam ser atendidas com mais urgência, né?!

Assim, acredito que a verdadeira cobrança por parte dos leitores não deve girar apenas em torno dos preços dos livros, tanto porque nós temos a obrigação, como cidadãos - cidadãos bem informados que somos, em grande parte graças às nossas leituras - de lutar por um país que distribua sua renda de forma que toda família possa comprar livros sem precisar escolher entre eles e o pão de cada dia.
Mas essa é só a minha opinião. Agora quero saber a de vocês também, então, comentem!

9 comentários:

  1. Eu penso muito pelo lado do escritor, o quanto de problemas teve de enfrentar para dividir suas histórias com outras muitas pessoas - excluindo aqueles que só escrevem para lucrar - mas, em geral, eu acho que cada caso é um caso.

    Você citou o problema da renda familiar do brasileiro, e eu levo isso á um grande peso, porque realmente, se o brasileiro tivesse mais condições, optaria por uma educação melhor para si e seus descendentes, dai poderiam crescer vários leitores e com isso, bons trabalhadores de boa educação, e os livros poderiam ser quase que uma necessidade, portanto poderiam ser ou não ser "caros". Mas com a necessidade que a condição do brasileiro SENDO BOA formasse em criar-nos a sede de ler, todos poderiam obter livros ou chorar por eles, porque o governo poderia fazer o que bem quisesse - como assim já o faz -, isso acarretaria como no hoje, onde as necessidades que a população já revela, faze-os sofrer para conseguirem seu sustento, então.. o mesmo fariam então com um Brasil apaixonado por livros? Enfim, acho que todos somos controlados :(

    GabryelFellipeealgo.blogspot.com
    El Costa - Confins Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentário me fez lembrar o livro 1984, de George Orwell, onde todos são vigiados pelo implacável Grande Irmão. E eu até concordo com vc, Byel... Tb acho que o governo controla a população e nos direciona conforme suas vontades. É uma pena, mas nós acabamos nos deixando controlar, né?! :/

      Excluir
  2. Concordo com tudo o que você colocou. Se formos analisar QUALQUER produto que é vendido nos EUA, e no Brasil, a diferença vai ser enorme, e sempre parecerá que os preços aqui são exorbitante, quando nem sempre é assim. Claro, que na maioria das vezes realmente os preços não são adequados - isso no geral, não só com livros -, mas isso depende do ponto de vista, pois um salário de alguém dos EUA é MUITO superior ao do brasileiro. Por exemplo, se você andar nas ruas dos EUA, verá muitos carros que são sonho de consumo aqui, e esses carros com pessoas de classe média, tudo porque lá os salários são maiores e os impostos menores. Ainda levando em consideração que brasileiro lê pouco, faz parecer que nem podemos "nos dar ao luxo" de querer bons preços.E é verdade, infelizmente muita coisa poderia ser diferente se uma certa parte do povo brasileiro fosse menos ignorante.

    Beijos

    http://desfocandoideias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei o comentário, Natália! As condições de vida em outros países, não só nos EUA é muito superior à nossa, e parece clichê mas só quem pode mudar isso é o povo brasileiro. Nós já mostramos que unidos somos muito mais fortes que qualquer governante, basta todo mundo se juntar e lutar de verdade por um Brasil mais justo...

      Excluir
  3. Oi Michelly! Gostei muito do teu post! A primeira coisa que visamos é mesmo o valor alto e reclamamos, mas quando vemos os custos reais que ele precisa cobrir, as coisas ficam diferentes. Pensando dessa forma, fica um valor justo. E concordo com você quando diz que o livro precisa ser acessível à todos!

    Beijinhos
    Mirelle - meumundoemtonspasteis.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livro tinha que ser artigo de primeira necessidade, mas infelizmente, quase ninguém valoriza a leitura no Brasil... :/

      Excluir
  4. Analisando bem o mercado, acho que R$30,00 por um livro é um preço razoável, até porque da margem para o mesmo futuramente entrar em promoção e ficar um pouco mais baixo.
    O problema que ocorre é, principalmente com livros nacionais este preço de R$30,00 não é maioria, os livros são muito mais caros! Não sei porque ocorre isso mas acho um absurdo, um livro traduzido por R$20,00 e um de escritor nacional por R$45,00 parece que fazem de propósito.

    Alunos de escolas públicas deveriam ter desconto em compras de livros, mas será que o governo quer ver o povo mais instruído? É uma questão muito complexa e aborda n fatores, mas o bom e correto seria todos poderem comprar seus livros sem comprometer a renda familiar.

    Abraço,
    Diego de França
    Leitor Sagaz | Participe do Top Comentarista | Grupo Amantes da Literatura no Facebook

    ResponderExcluir
  5. Gostei do texto Michelly. O Brasil é um país de pouquíssimos leitores, em vista de outras nações e também o local onde temos os livros mais caros do mundo. Como você mesma disse, isso acontece porque o hábito da leitura ainda não se expandiu como gostaríamos e porque as editoras também precisam lutar pelo seu ganha-pão, já que não possui um mercado tão rentável. Espero que um dia essa questão mude de figura... Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que mude, Vanessa. Acho que nós já estamos dando nossa contribuição, o que é muito importante!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...