27.6.14

Resenha: Cartas de Amor aos Mortos


Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira
344 páginas


"É triste quando todo mundo sabe quem você é, mas ninguém te conhece. Imagino que você tenha se sentido assim. As pessoas veem o que querem."


Quando recebi o e-mail da Seguinte avisando que tinha provas disponíveis de Cartas de Amor aos Mortos, fiquei receosa de requisitar um pra mim, pois me baseando pela sinopse, parecia um livro muito triste. Porém fiquei tão encantada que resolvi tentar a sorte. Pedi e fui uma das parceiras contempladas para ler o livro antes mesmo de seu lançamento. E eu digo a vocês: eu perderia muito por não conhecer essa história...

A narrativa traz como protagonista a jovem Laurel, que 6 meses antes perdeu sua irmã, May, num trágico acontecimento. Logo no primeiro dia de aula, sua professora de inglês passa um trabalho no qual cada aluno terá que escrever uma carta para alguém que já morreu.
A primeira carta de Laurel é endereçada à Kurt Cobain e nela a garota descreve seus sentimentos sobre a irmã e sobre os primeiros dias no novo colégio. Mas devido ao rumo pessoal que a carta tomou, Laurel não tem coragem de entregá-la à professora.
A partir daí a garota começa a escrever cartas à vários artistas falecidos, contando como está a adaptação no colégio, falando sobre as novas amizades e sobre Sky, um garoto misterioso que roubou sua atenção e, ao que tudo indica, seu coração também.
No começo nós não sabemos muito sobre a morte de May, mas, aos poucos, Laurel vai se abrindo, transformando aquelas cartas num tipo de diário alternativo onde ela expõe sua culpa pela tragédia com a irmã. É através dessas cartas, também, que vamos acompanhando o caminho que Laurel percorre em busca da cura de suas feridas, que são tão profundas. E torcemos por ela. A cada palavra do texto torcemos mais e mais.

Uma coisa que pode incomodar alguns leitores é o fato de Laurel falar muito de May. Em qualquer situação ela faz uma ligação com a irmã, o que pode parecer repetitivo. Porém eu considero totalmente explicável. Imagina perder sua irmã e ainda se sentir culpada por isso?
Eu, particularmente, tenho uma relação muito profunda com minha irmã, e acho que isso colaborou para que eu tivesse uma reação tão intensa ao ler Cartas de Amor aos Mortos. Não me imagino sem meu bebê, por isso não consigo mensurar o sofrimento de Laurel.
Além da morte de May, Laurel tem outras cicatrizes para cuidar. Sua mãe não aguentou a pressão e praticamente a abandonou com o pai e a tia. Também houveram circunstâncias em que ela foi submetida a vários tipos de abuso. Só por aí dá pra perceber que a vida da garota não é fácil, o que até justifica suas atitudes durante o livro.

O fato da narrativa ser toda através de cartas foi uma novidade muito bem-vinda para mim! A forma que a autora usa os destinatários das cartas foi muito inteligente, sempre ligando a história de vida do artista ao momento pelo qual Laurel estava passando, inclusive utilizando trechos de suas respectivas músicas para ilustrar determinados sentimentos.
A escrita de Ava Dellaira é muito mais que competente, é linda, poética e, pra mim, perfeita. A forma com que ela expressa as emoções é tão real que chega a ser uma das melhores autoras para falar de sentimentos que conheci até hoje.

Esse é um livro bastante denso, que trata de assuntos sérios como morte, abuso sexual e drogas, porém não é nada deprimente ou angustiante, como eu pensei que fosse. Para servir de contraponto, a história também traz um romance adolescente, que mesmo com suas turbulências, é leve e reconfortante. É a centelha de esperança que o livro precisava para escapar do abismo ao qual Laurel mergulhava. E nisso também a autora foi muito feliz.
Num livro como esse podemos ver claramente a velha máxima de que ninguém é tão perfeito ou tão errado. Todos nós temos dois lados, e foi delicioso descobrir o bem e o mal em Laurel. Se você for esperto, vai querer descobrir também.

10 comentários:

  1. Uau! Esse livro parece maravilhoso. A história... parece fantástica. Quero muito lê-lo. Adorei a resenha! Editora, mande um exemplar para mim, por favor :v

    The Lord of Thrones

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser parceira da Companhia é tudo de bom, Karla! hehe

      Excluir
  2. Noossa *-* Esse livro acabou de entrar para a minha lista hahaha'


    maisumleitor.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Michelly :)

    Esse livro é novo, mas já me ganhou. Todas as resenhas que li sobre ele são positivas, sinal de que devo ler, sem dúvida nenhuma. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Talvez pelo fato de ter amado de paixão o livro "As Vantagens de Ser Invisível" eu tenha dito, a partir da sua resenha, uma enorme vontade de obter o livro, pois pelo que li aqui e no titulo, já deu para perceber semelhanças entre eles. Estou ansioso por ele agora, e quando fiquei sabendo do livro e li a sinopse já pensei que esse livro fosse me deixar deprimente, mas pelo que você disse, compreendo que é um livro essencial com vários temas abordados. Ah, citando a parte que os leitores podem não gostar, eu não me vejo o detestando, eu também amo a minha irmã e meus irmãos, e se eu perdesse um deles, eu sofreria catastroficamente.

    http://gabryelfellipeealgo.blogspot.com.br/
    El Costa - Confins Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre quis ler As Vantagens, e agora, sabendo que lembra Cartas, quero mais ainda!

      Excluir
  5. Oi Mi!
    Adorei a resenha =D
    Quero muito ler esse livro!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...