29.8.14

Resenha: Harry Potter e o Enigma do Príncipe


Harry Potter e o Enigma do Príncipe - J. K. Rowling
510 páginas


"É o desconhecido que receamos quando olhamos para a morte e a escuridão, nada mais."


Enquanto o Ministro da Magia se reúne com o Ministro dos trouxas, um servo de Voldemort faz um juramento à Narcisa Malfoy, tendo Bellatrix Lestrange como testemunha. Harry, por sua vez, recebe uma carta de Dumbledore dizendo que irá buscá-lo na casa dos Dursley. Antes de ir à Hogwarts, o diretor leva Potter até a casa de Horácio Slughorn, a fim de convencê-lo a lecionar Poções nesse ano letivo. Com uma certa relutância, Horácio acaba aceitando o convite, e assim começa o 6º ano de Harry na escola.
Agora Snape é o novo professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, cargo tão desejado por ele. E é numa de suas aulas que Harry pega um livro emprestado, o qual pertencia a uma misteriosa figura, denominada Príncipe Mestiço. Acontece que o tal livro contém umas anotações cruciais sobre a matéria, o que acaba fazendo com que Harry se torne o melhor aluno da classe, superando, inclusive, Hermione.
Juntando isso ao fato de ser um bruxo famoso, Potter cai nas graças do professor Slughorn e passa a fazer parte de seu seleto grupo de queridinhos.
Nesse ínterim, Rony e Hermione têm suas próprias preocupações. Ele está namorando Lilá Brown, e ela está morrendo de ciúmes.

Mas as forças das trevas estão se juntando e a guerra iminente não deixa espaço para distrações. Dumbledore começa a receber objetos amaldiçoados, que acabam indo parar nas mãos de outras pessoas, causando grandes estragos.
Percebendo que Harry não pode ficar mais sem informações, o diretor decide dar aulas a ele, e mostra cenas de seu passado através da Penseira, um objeto onde o bruxo guarda todas as suas lembranças mais importantes. Dentre essas lembranças, estão partes da passagem de Voldemort por Hogwarts, quando ainda era apenas Tom Ridlle. É aí que Harry tem a pista definitiva sobre como vencer o Lorde das Trevas, o que o leva a um caminho que não há meio-termo. Como disse a profecia, será ele ou Voldemort. Só um poderá sobreviver.

Esse livro representa o começo do fim. É nele que Harry descobre como matar Voldemort e parte em busca disso. O clima criado por Rowling deu a impressão exata da guerra prestes a explodir, o que deixou tudo ainda mais tenso.
Agora que Dumbledore percebeu que Potter precisa de informações mais precisas sobre o que está acontecendo e sobre o passado, o garoto está aceitando melhor o fato de carregar tamanha responsabilidade, portanto está bem mais calmo que no livro anterior.

Umas das coisas que mais me agradaram dessa vez foi o conflito interno vivido por Draco, mostrando a clássica luta entre o bem e o mal dentro de si. Isso foi mais uma prova da genialidade de J. K., que durante toda a série criou personagens extremamente reais, sendo que todos, do mais bondoso ao mais terrível, mostram diferentes nuances durante a história.
Já o constante desencontro entre Rony e Hermione foi o responsável por trazer uma certa leveza à uma narrativa que fica mais séria a cada volume. Só Rony não percebe os sentimentos de Mione, e isso nos deixa morrendo de vontade de sacudir o garoto e gritar: você é cego???
Há também o começo de um relacionamento entre Harry e Gina, mas isso já não me agradou tanto... Diferentemente de tantos fãs da série, eu não sou super fã desse casal. Assim, não é que eu odeie, mas pra mim não funcionou tão bem, parecendo até meio forçado. Mas enfim, nada que atrapalhe meu amor pela saga.
E é nesse volume que nos despedimos de mais um personagem muito querido...

Pra fechar com chave de ouro, preciso falar sobre a Penseira, um dos meus objetos mágicos preferidos. A forma com que Rowling a utilizou durante o enredo, nos mostrando momentos pontuais do passado, foi muito inteligente. É através dela que conseguimos grandes pistas sobre o que virá pela frente, sendo que as respostas pro futuro vêm diretamente do passado. Genial. Essas foram as partes mais interessantes da narrativa pra mim.

Com um ar conspiratório e dramático, o sexto volume da saga Harry Potter nos deixa em meio ao caos. Agora é guerra, e só falta mais um capítulo para conhecermos o desfecho dessa história. Então, que venha Relíquias da Morte!

2 comentários:

  1. Oi, Michelly!
    Muito boa a resenha!
    A Gina dos livros é muito diferente da dos filmes; é mais participativa, decidida, senhora da situação... Bonnie Wright é uma boa atriz, mas faz a Gina parecer sem graça nos filmes, completamente diferente daquela artilheira raivosa capaz de lançar uma maldição impecável contra bicho-papão rsrs. Por isso, gosto um bocado de ver o Harry com ela (embora secretamente eu sempre quisera ver o Harry e a Mione juntos...)
    Gostei mesmo da resenha!

    Abraços,
    Diego.

    pecasdeoito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não que eu não goste de Mione e Ron juntos, mas eu tb queria que ela ficasse com o Harry... Acho que combina mais.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...