24.10.14

Resenha: A Psicanálise dos Contos de Fadas


A Psicanálise dos Contos de Fadas - Bruno Bettelheim
448 páginas


"Cada conto de fadas é um espelho mágico que reflete alguns aspectos de nosso mundo interno e dos passos exigidos por nossa evolução da imaturidade à maturidade."

 
Quando vi A Psicanálise dos Contos de Fadas entre os lançamentos do Grupo Record (selo Paz e Terra), a expressão "contos de fadas" logo gritou por mim e eu não tive dúvidas: pedi para resenhá-lo esse mês. Contudo, quando o livro chegou aqui em casa e vi seu tamanho, bateu aquele medo de ser um livro técnico demais, algo difícil pra alguém como eu, sem formação em Psicologia. Mas ao começar a leitura o medo foi substituído pela empolgação de um texto fluido e bem explicado, inclusive para os leigos de plantão. Sendo assim eu já aviso: Bruno Bettelheim escreveu uma obra capaz de alcançar a todos que se interessem por ela, independente de sua formação.

O objetivo desse livro é mostrar a influência dos contos de fadas na vida prática das crianças, auxiliando em seu desenvolvimento psicológico frente aos problemas comuns dessa fase da vida. Bruno afirma que essas histórias são um instrumento direto para falar aos pequenos de forma clara e precisa, o que representa um importante meio de comunicação para que as mensagens passadas sejam de fácil entendimento para eles.

Ainda pela visão do autor, é importante esclarecer para as crianças, desde cedo, que as adversidades existem, mas que podem ser contornadas e vencidas. Particularmente, penso que esse sentimento de esperança é o que nos move, despertando dentro de cada um de nós a força necessária para lutar e conquistar nosso espaço no mundo. Eis que esse ensinamento pode ser facilmente passado através de uma história com uma moral bem definida, como é o caso desses contos.

O simbolismo contido nas histórias infantis é vasto e abarca temas como a morte, o sentimento de rejeição, a sexualidade e o medo, todos eles presentes no cotidiano das crianças mas que acabam sendo ignorados graças à dificuldade que os pais têm em tratar desses temas. É muito mais fácil ensinar que o irmão mais novo do conto dos Três Irmãos, mesmo humilhado pelos mais velhos, acaba por ser recompensado com um tesouro graças à sua bondade com os animais, do que explicar as bases teóricas da meritocracia pregada em várias sociedades.

Por isso mesmo, não é interessante que as mensagens contidas nas entrelinhas dos contos de fadas sejam amenizadas. Num primeiro momento, dizer que o lobo (em Os Três Porquinhos) morreu, pode parecer trágico demais para uma criança, porém a constatação de que a atitude má do personagem teve uma consequência negativa para ele explica para os pequenos que toda ação traz uma reação.

Durante as 448 páginas, Bruno observa várias histórias de perto, explicando e detalhando seus pormenores e fazendo ligações com a psicanálise infantil. Ele também critica a segurança das histórias atuais, sempre "politicamente corretas" mas que não trazem outros benefícios ao público alvo a não ser unicamente a diversão.

Com informações esclarecedoras e um conteúdo muito interessante, indico a leitura desse livro para todos, mas principalmente para pais, professores e profissionais da área da psicologia. Posso dizer que A Psicanálise dos Contos de Fadas é rico, bem escrito e muito divertido, portanto leiam sem medo e aproveitem, porque vale a pena!
 

8 comentários:

  1. hello, milly! uma vez, no ano passado, eu estive andando pela biblioteca da cidade e encontrei esse livro, o peguei pra ler ams acabei nem lendo porque era justo na época do ano que as coisas se tornam mais corridas pra mim! lendo sua resenha, vi que o Grupo Record o lançou, mas acho que foi um re-lançamento? não sei.
    enfim, eu curti muito a resenha e gostei dos pensamentos do bruno em se preocupar em colocar na cabeça do leitor a importância de explicar aos pequenos os contos de fadas em suas entrelinhas. :)
    bjs


    gabryel fellipe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Record relançou ele com nova capa, Byel! A edição tá ótima!

      Excluir
  2. Oi Michelly,

    Esse livro me parece muito interessante. Não sei se eu teria coragem de ler, mas o admiro, rs.

    Beijos
    Tão doce e tão amarga.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei que parece meio pesado, mas é só impressão Thamiris! Na verdade ele é bem tranquilo!

      Excluir
  3. Que bacana!
    Tenho um livro dos irmãos Grimm que no prefácio dele a organizadora fez uma espécie de análise dos contos de fadas.
    Eu sempre disse que todos esses contos são moralistas. Eles foram escritos por adultos, e como não existe neutralidade na literatura, eles colocam muito dos seus aprendizados nos contos. Claro que na intenção de educar as crianças com conceitos como "causa e consequência", mas ainda assim com as bases adultas de cada um deles.
    Acho fascinante esse tema! Pensei em fazer meu tcc sobre isso um tempo atrás, mas acabei mudando o que falaria. Ainda assim adorei a ideia de um livro só sobre isso.

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb acho esse tema fascinante, Carol! Já dei minha opinião sobre os contos de fadas num Um Dedo de Prosa que fiz durante a Semana Especial Contos de Fadas, e concordo qd vc diz que eles são moralistas, só que de uma forma positiva!

      Excluir
  4. Michelly, eu tinha vontade ler esse livro desde quando vi seu lançamento pela editora. Mas senti medo de ser muito específico. Agora, com sua resenha, estou determinada a lê-lo. Acredito que todos que queiram ter filhos um dia devem ler.
    Beijos
    aculpaedosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu diria que ele é técnico na medida certa, pois é muito fácil de ler mas ao mesmo tempo o autor nos explica o porquê daquelas opiniões.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...