21.11.14

Resenha: Mentirosos



Mentirosos - E. Lockhart
272 páginas
 

"Tinha saído de uma casa cheia de lágrimas e falsidade e ido para a ilha.
E eu vi Gat,
e vi aquela rosa na mão dele,
e, naquele momento, com a luz do sol entrando pela janela e brilhando sobre ele,
as maçãs sobre a bancada da cozinha,
o cheiro de madeira e mareia no ar,
eu rotulei de amor.
Era amor, e me atingiu com tanta força que me inclinei junto à porta de tela ainda entre nós para me manter de pé. Queria tocar nele como se fosse um coelhinho, um gatinho, algo tão especial e macio que seria difícil manter os dedos longe."


Já contei pra vocês que o livro de estreia de E. Lockhart, O Histórico Infame de Frank Landau-Banks, me ganhou completamente, portanto, assim que surgiu a oportunidade de ler a prova do segundo livro dela, Mentirosos, não pensei duas vezes! Inclusive, agradeço à Diana e a Editora Seguinte que me deram a oportunidade de ler mais uma história brilhante criada por Lockhart.

Cadence é a herdeira de uma família aparentemente perfeita, Os Sinclair, e muito mais do que de Cadence, Mentirosos é a história dessa família. Eles têm uma ilha, na qual passam suas férias de verão e é a única época do ano em que Cad, Merris, Johnny e Gat se encontram. Por isso mesmo é a época preferida da protagonista.
Porém, em seu 15º aniversário, Cad sofre um misterioso acidente nessa ilha que faz com ela perca suas memórias sobre os acontecimentos daquele período e passe a sofrer de uma forte enxaqueca. Assim, ela fica afastada de seus amigos por 2 anos, até que sua mãe resolve que é a hora delas voltarem ao lugar do acidente. Quem sabe assim Cadence não se lembra do que realmente aconteceu...
Lá, ela reencontra os Mentirosos, que é como a família chama o quarteto, e conta com a ajuda deles para desvendar os mistérios do dia do acidente e recuperar suas lembranças.

A escrita de Lockhart está bem diferente nesse livro em comparação com o anterior. Mais poética e eu diria que até mais pessimista. Porém, acredito que isso acontece pelo fato de Cadence ser o oposto de Frankie - protagonista do outro livro. Enquanto essa é inventiva e positiva, Cad vive uma grave confusão mental e tem uma forte tendência ao negativismo. Contudo, o tom escolhido para sua protagonista não só não prejudica a história, como também diferencia suas obras, o que prova de forma definitiva a qualidade da autora. Lockhart rechaçou a segurança do lugar comum, fazendo um livro totalmente diferente daquele que lhe alçou à fama.

A angustia e os temores de Cadence poderiam ser sua ruína, tornando-a uma personagem chata, porém não é isso que acontece. Seus sentimentossão tão palpáveis que fica fácil entender e perdoar seu negativismo. As figuras de liguagem com as quais a autora demonstra o que se passa na cabeça de Cad são as grandes estrelas da narrativa. Hora seus pensamentos são passados através de estruturas que imitam um poema, hora eram transformados em contos de fadas inventados pela protagonista e sempre com uma moral aplicável à sua vida. Incrível e extremamente criativo.
Merris, Johnny e Gat também desempenham papéis importantes, ajudando a garota a retomar suas lembranças, mesmo que sem querer.
Já o restante da família Sinclair é de dar nojo, tamanha a arrogância e o preconceito que carregam consigo. O patriarca então, me deu muito ódio. O mais chocante é pensar que pessoas assim realmente existem, e é muito triste ver alguém, principalmente de idade mais avançada, que não aprendeu nada com a vida. Definitivamente, eles não sabem quais são os valores que realmente importam. E é justamente por isso que tive a impressão que o título não se refere somente às mentiras do quarteto, mas também dessa família que vive de aparências.

Como a narrativa é em primeira pessoa, vamos "lembrando" dos acontecimentos junto de Cadence, o que vai instigando cada vez mais nossa curiosidade, até que esse sentimento torna-se insuportável. Dá vontade de ler o final, mas é óbvio que eu não iria fazer isso e estragar as surpresas. E que surpresa...
Toda a espera é recompensada quando Lockhart revela seu final arrebatador e inimaginável. Aliás, depois de ler, fiquei pensando como não imaginei aquele final, mas sei que a autora fez tudo tão direitinho que não sou eu a distraída, mas o mérito é mesmo todo dela. Sabe aquela hora que você começa a perceber o que pode ter acontecido e fica pensando "não pode ser, não é possível", até que, BUM, a verdade é lançada na sua cara com o efeito de uma bomba? Então, foi isso que senti. Fiquei uns 5 minutos olhando pro livro sem conseguir dizer uma palavra.

Pra não me estender mais, digo pra vocês: Mentirosos pode ter um começo confuso, no qual você pode até ficar desanimado de continuar, mas não desista porque no final tudo fará sentido. Assim como em seu primeiro livro, Lockhart escreveu uma história inteligente e crítica, onde há espaço para o romance e para a vivência de dramas comuns a muitos de nós.
Mais uma vez fui deliciosamente surpreendida por essa autora, e já decidi que quero ler tudo que ela escrever, até sua lista de supermercado! ;)
 

12 comentários:

  1. Oi, Michelly! Eu comprei esse livro na Bienal de Minas e estou MUITO ansiosa para ler, todo mundo fala super bem dele e sua resenha me deixou ainda mais curiosa. :3

    http://livro-apaixonado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Michelly, tudo bem?

    Eu estou louco para ler Mentirosos, de verdade, louco. Já comprei o livro, mas ainda não chegou. Espero, que chegue logo, vou devorá-lo. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Michelly!
    Nunca li nenhum livro de Lockhart, mas pelos seus comentários ambos parecem ser ótimas leituras. Até o momento não fazia ideia do que se tratava a narrativa de mentirosos. Ao ler a sua resenha tive a impressão de que é uma história bem envolvente em torno do acidente e do retorno da memória. No entanto você mencionou que o livro é narrado em primeira pessoa e eu tenho uma certa cisma com livros com esse estilo de narração kk .. mas pelo que eu entendi contribui para o mistério que envolve a personagem principal.
    Ótima resenha!

    Beijos
    Espero sua visita =)
    http://numrelicario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc acertou em tudo que disse, Erika! Se não fosse em primeira pessoa, não daria pra manter o mistério até o fim, e o livro não teria tanta graça... :)

      Excluir
  4. Oii Michelly tudo bem?
    Essa história parece ser bacana, fiquei com vontade em ler, estou com minha lista cheias de livros sendo aguardada para ler, mas em breve quero comprar esse hehe, ficou muito boa a resenha :D
    Fique com Deus! Aguardo sua visita *-*
    http://www.doceliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Amanda! Esse eu garanto que vale a pena, viu?!

      Excluir
  5. Oi Mi, Mentirosos foi o primeiro contato com a autora e já estou apaixonada. Os eternos cinco minutos pensando no final também aconteceu comido, não conseguia acreditar no desfecho. O livro á surpreendentemente doloroso e rico. Amei essa leitura.
    Bjim!
    LivreandoFacebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso, Tammy! Vc descreveu perfeitamente: surpreendentemente doloroso e rico!

      Excluir
  6. depois dessa resenha, até eu quero ler a lista de supermercados dela! e pensei que era ele.
    caramba! que livro incrível, curto demais essas bombas que tiram nossas reações no momento em que estamos lendo um livro que não revelou nada até chegar ao final. demaaais.


    gabryel fellipe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E não revela msm não, o final é uma grande surpresa!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...