12.12.14

Resenha: 100 Filmes da Literatura para o Cinema


100 Filmes da Literatura para o Cinema
352 páginas


"O livro não é um modelo a ser alcançado pela adaptação fílmica. Fala-se de adaptação, mas pode tratar-se, de maneira mais ampla, de inspiração e impregnação."


Particularmente, eu adoro livros no estilo dessas séries "100 livros", "1001 maravilhas naturais", ou seja, que apresentam uma compilação dos melhores de algum tema. Não é surpresa, então, que logo que vi 100 Filmes da Literatura para o Cinema entre os lançamentos da BestSeller, quis descobrir quais eram os eleitos como adaptações mais marcantes da história do cinema. Pedi o livro e não me arrependi.

Logo no início da obra, há uma apresentação feita por Henri Mitterand, professor de literatura e reconhecido especialista da obra de Émile Zola. Ele começa fazendo uma análise das questões que cercavam as primeiras adaptações, numa época onde o teatro começava a dar espaço ao cinema. Já passando a analisar o cinema em si, já posto e em evolução, Henri evidencia as semelhanças e diferenças entre o roteiro original, aquele feito exclusivamente para um filme, e o roteiro adaptado.

A adaptação não deve ser considerada somente aquela que segue fielmente a obra da qual deriva, podendo tal obra servir apenas de inspiração. A memória vinda da literatura só atingirá àqueles que leram e lembram do livro, o que significa que um filme não pode ser feito apenas para essas pessoas. Por isso, algumas mudanças no enredo se fazem necessárias, visto que nem tudo que está nas páginas é possível ser passado para a tela. Uma obra cinematográfica é feita para todos, não só para os possíveis leitores da narrativa que a inspira.

Depois dessa análise, somos submetidos à um breve estudo sobre algumas adaptações europeias. Interessante, mas pode ser a parte mais aborrecida do texto para aqueles que não são tão ligados ao cinema, tecnicamente falando. Nessa parte o autor dá destaque à alguns aspectos que são levados em consideração na hora de criar ou adaptar uma história pro cinema, como a lógica narrativa e a psicologia dramática, por exemplo.

A apresentação, de autoria do renomado literata, conta com poucas páginas, nos entregando um texto, talvez, técnico demais em alguns pontos. Mas ele é um crítico profissional, portanto não dava pra esperar algo diferente também, né?! Contudo, depois dessa breve análise é que a diversão realmente começa...


Depois de um pequeno gráfico, a exposição das obras adaptadas têm início. Elas não têm nenhuma ordem preestabelecida, como ano de lançamento ou ordem alfabética. O primeiro filme apresentado é 2001: uma Odisseia no Espaço. Ali, temos a sinopse, alguns comentários, uma pequena análise (pequena mesmo) e as informações básicas sobre o filme (produção, direção, roteiro, duração...). E essa fórmula se repete para os outros filmes.

O livro é muito bem ilustrado com fotos das adaptações, tem páginas grossas (tanto que o livro é bem pesado) e é fácil de ler. Eu, pelo menos, fiquei completamente entretida. Vi muitos títulos que já esperava, como O Senhor dos Anéis, mas confesso que me decepcionei ao constatar que deixaram adaptações de sucesso de fora, por exemplo, Harry Potter. Será que a equipe responsável pela edição não considera o maior sucesso do cinema adaptado dos últimos tempos, digno de nota? Pecaram nesse ponto.


Confesso que não sabia que alguns clássicos do cinema eram, na verdade, adaptações de livros. Eu jurava que eram roteiros originais! Alguns eu até sabia que tinha o livro, mas nem imaginava que tinham adaptado. Outros eu nem sabia que existiam, tanto livro quanto filme. Shame on me.

No final vem um índice de escritores,um de diretores e por nome de filme. Enfim,é um livro pros amantes do cinema, pros amantes da literatura ou para aqueles que são, apenas, curiosos. É uma bela obra, que já tem um lugarzinho especial em minha estante e em meu coração.

12 comentários:

  1. Pois é um baita preconceito deixar de falar de Harry Potter, essa saga de filme que marcou uma geração e ainda continua fazendo fãs por aí. Apesar disso, parece ser um livro incrível.

    Leitores Forever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb achei preconceito, viu... Como fosse uma saga bobinha...:/

      Excluir
  2. Oi Michelly..
    Ainda não conhecia o livro, mas fiquei curiosa. Também gosto desse tipo de livro.
    Eu gosto mais de Senhor dos anéis, ia adorar ver o filme no livro, mas não acredito que deixaram Harry Potter de fora.. não é possível..rs

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Letícia, deixaram... Mas pelo menos colocaram O Senhor dos Anéis, né?! hehe

      Excluir
  3. Hey flor!
    Eu sou uma amante de literatura, cinema e é claro, sou curiosa também haha', então eu acho que esse livro é pra mim!
    Tenho certeza que ficarei um pouco entediada com toda essa parte técnica, mas vou adorar quando chegar na parte das adaptações!
    Adorei a dica flor <3

    Beijos!
    http://heartbreaker-girls.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até que o começo da parte técnica é tranquilo, depois que vai ficando mais chato. Mas essa parte é tão rápida que nem atrapalha!

      Excluir
  4. Olá Michelly, fiquei muito curioso para conhecer este livro, me interesso muito por saber mais sobre as adaptações cinematográficas. Ótima resenha, parabens =D
    Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Daniel! Já que vc se interessa por adaptações, vai gostar, pq esse livro traz muitas informações sobre essas obras!

      Excluir
  5. Oi Michelly! Não conhecia esse livro e achei-o superinteressante. Parece ser bem gostoso de ler.

    http://tudoqueeuli.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É gostoso sim, Érica! E bem rápido, apesar de ser grande (e pesaaaado)!

      Excluir
  6. olá, michelly achei super interessante......mais ainda sou daquelas que sempre acha que o livro é melhor que filme.
    rsrs

    http://www.frasesemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...