19.12.14

Resenha: A Última Vítima


A Última Vítima - Tess Gerritsen
384 páginas

 
"Três crianças mortas. Esta era a maldição da paternidade: cada criança morta veste o rosto de seu próprio filho. Ao colocar luvas e protetores para sapatos, ela também vestia proteções emocionais. Como o trabalhador em uma construção que coloca o capacete, ela vestiu sua própria armadura e entrou"


Comecei a ler a série Rizzoli & Isles a partir do 9º volume, mas desde então decidi que quero ler todos da série. Por isso, assim que A Última Vítima, 10º título, foi lançado, tratei logo de garantir o meu.
Mais uma vez a detetive Jane Rozzoli e a legista Maura Isles precisam solucionar um mistério. Teddy, Will e Clarie não se conhecem, mas tiveram suas vidas mudadas por dois massacres. O primeiro matou as famílias biológicas de cada um deles, o segundo matou as famílias adotivas.
Agora os três foram enviados para Evensong, uma escola especializada em crianças traumatizadas por tragédias familiares. É lá que Julian, um garoto que passou por maus bocados junto de Maura no passado, está. Agora cabe a Jane e Maura descobrirem se essas tragédias têm alguma ligação ou se o rastro de morte que essas crianças espalham é somente uma triste coincidência.

Assim como em seu livro anterior, Tess Gerritsen me cativou com sua escrita direta e interessante. A cada novo capítulo ficamos mais curiosos para descobrir que ligação estranha é essa que une Teddy, Will e Clarie. Juro que fiquei tentando encontrar detalhes em comum entre eles, mas Tess leva o mistério até o fim, o que é ótimo, pois nos mantém presos à história!
Como a única similaridade aparente entre as crianças são os massacres de suas famílias, um leitor desavisado pode pensar que o caso acabará sendo mal explicado, porém não é isso o que acontece. No final, a autora junta todas as pontas soltas e nos brinda com um desfecho digno de alguém que já tem 13 livros publicados.
Além da escrita, também destaco a construção dos personagens. Definitivamente Maura é minha preferida entre a dupla, mas Jane tem lá suas qualidades também... Contudo, nesse livro, o trabalho mais elaborado foi feito com as crianças. Cada uma demonstra as cicatrizes de uma vida extremamente incerta e sofrida à sua própria maneira. Clarie é a revoltada, Will é o otimista e Teddy é o depressivo, mas de forma alguma são caricatos ou cansativos.

A série Rizzoli & Isles me devolveu o gosto pela literatura policial, que andava há algum tempo adormecida, e isso é o grande trunfo da série pra mim. Tenho que admitir que sou bastante crítica com esse tipo de história, pois se as coisas não forem satisfatoriamente explicadas, não serve. Um thriller policial deve ter uma construção detalhada e um desfecho onde todas as pontas soltas unem-se, e Tess, pelo menos nos dois livros dela que li, faz isso como os grandes mestres desse gênero.
Particularmente, gostei mais do volume anterior, o que não significa que não tenha gostado desse. A prova disso é que minha vontade de ler os primeiros títulos da série aumentou, e com certeza um ou dois estarão entre minhas primeiras leituras de 2015.

Por fim, me sinto na obrigação de comentar algumas opiniões que dão conta de que a narrativa pecou pelo excesso de falas e pelo aprofundamento na crise entre os pais de Jane. Eu discordo veementemente disso.
Os diálogos dão ritmo à leitura, e é através deles que vamos descobrindo pistas para solucionar o caso. Nunca vi um livro policial bom com poucas falas. Já a crise nem é tão aprofundada assim, sendo que, no livro todo, só tem um trecho dedicado ao dilema matrimonial dos pais da detetive.
Além do mais, não é porque o assunto principal desse tipo de livro é a investigação, que a autora tem que ficar presa só nisso. Desenvolver seus personagens é uma característica dos grandes autores, portanto, em minha humilde opinião, Tess Gerritsen está de parabéns!

4 comentários:

  1. Eu tenho tanta vontade de ler esse livro, tenho um outro livro da Tess (relíquias) e estou louca para ler mas os livros dela são tão caros :(
    Acho a capa desse livro tão sombria e atrativa, sei lá, sou apaixonada por ela.
    Adorei o blog e a sua resenha, já estou seguindo!
    Beijos.
    Se puder, dá uma olhadinha no meu blog: Blog Palavrear-se :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os livros dela são caros mesmo, Wilma, mas cheguei a conclusão de que vale a pena, viu! Conheci essa série por causa de Relíquias. Um dia, na Saraiva, um vendedor tava indicando ele pra um cliente, e eu, muito enxerida, fiquei prestando atenção na conversa deles. Desde então queria começar a série, mas acabei começando pelo 9º volume! hehe... Como disse na resenha, com certeza vou ler os primeiros tb!

      Excluir
  2. Eu senti vontade ler esse livro já pela sinopse, porém quis esperar sua opinião. Amei a resenha e ele acaba de entrar para minha lista de desejados.
    Beijos
    aculpaedosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aeeee! Vou pedir comissão pra editora! kkkkk

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...