11.1.15

Eu sou fantástico: Saci

Criaturas fantásticas são aqueles seres fictícios presentes na literatura, mitologia ou folclore, que podem ser típicas de uma região ou serem reconhecidas mundialmente. O mais interessante de tudo é que um mesmo ser poder ter um significado em um lugar e outro numa região diferente. Esses personagens costumam ser atribuídos de poderes sobrenaturais ou força descomunal, o que faz com que as histórias que eles participam fiquem ainda mais interessantes!

Na nossa nova coluna, Eu Sou Fantástico, vamos falar sobre uma criatura por vez, dando suas características e mostrando as melhores ilustrações retradando-os. Para começar com o pé direito, vamos apresentar um ser folclórico brasileiríssimo, o Saci. 
 
 
Também conhecido como Saci-pererê, o Saci é uma figura recorrente no folclore brasileiro. Mas não se assute se você encontrar referências à ele como Saci-cererê, Saci-saçurá, Saci-trique, Matimpererê ou Matita Perê, pois esses nomes também são utilizados em algumas regiões do país.

Sua lenda surgiu no século XVIII, nas tribos indígenas guaranis, podendo apresentar a criatura em várias versões, tanto como um ser maléfico, quanto como brincalhão. Porém, foi ao chegar na região norte do Brasil que o Saci ganhou suas características mais marcantes. A partir daí ele passou a ser descrito como um jovem negro de uma perna só (perdeu a outra jogando capoeira), que fuma cachimbo e usa um gorro vermelho que lhe concede poderes mágicos.

Hoje o Saci é considerado uma figura brincalhona que se diverte praticando traquinagens como pequenos golpes domésticos ou dar sustos em viajantes noturnos com seus assovios agudos e impossíveis de serem localizados. Seu maior papel, contudo, é ser o guardião da natureza, controlando as teorias e as técnicas sobre os poderes curativos das plantas. Mas apesar desse título, o Saci evita entrar na água.


Na literatura, o precursor da utilização do Saci como personagem de suas histórias foi Monteiro Lobato, publicando, em 1918, sua primeira obra, chamada O Saci-pererê: Resultado de um Inquérito. Depois, já em 1921, o autor voltou a escrever sobre a criatura no livro O Saci, primeiro livro de sua bem sucedida série O Sítio do Pica-Pau Amarelo. Esse livro, inclusive, ganhou uma adaptação para o cinema, tendo como intérprete do personagem principal, o ator Paulo Matozinho.

Indo para os quadrinhos, Ziraldo foi o primeiro a criar uma história para esse ser fantástico. Em 1958 começou a ser lançada a série Turma do Pererê, onde o Saci contracena com o índio Tininim e uma onça chamada Galileu, entre outros personagens.


Em 2005 foi instituído o dia 31 de outubro como sendo o Dia do Saci, se contrapondo, propositalmente, ao Dia das Bruxas. A idéia era criar uma tradição que fizesse frente ao crescimento das culturas folclóricas estrangeiras no Brasil. Infelizmente, acho que não deu certo, visto que pouquíssima gente sabe da existência de um dia dedicado ao negrinho de uma perna só.
 
Espero que tenham gostado da nova coluna. Dicas e sugestões são muito bem-vindas aqui nos comentários, viu?! Me ajudem a contruir o blog pois ele é feito pensando em vocês!
 

7 comentários:

  1. "pé de que, pé de Saci, Pererê, pererê, pererê, pererê" ahh A Turma do Saci, eu tenho dois livros aqui em casa, e amava, acho que já li uma dez vezes. Acho que das figuras do folclore brasileiro, a que eu mais gosto é o Saci. Ele sempre é tratado como um moleque bagunceiro, porém de bom coração, e por isso tem um jeitinho tão brasileiro de ser. Adorei a sua coluna, é um pouco mais de cultura por semana por aqui, gostei mesmo. Beijos

    http://desfocandoideias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Natalia! Meu intuito esse ano é passar mais informações aqui no blog e parece que estou conseguindo, né?! :)

      Excluir
  2. ótima! ótima coluna! - eu super apoio e me diverti lendo sobre o pererê!
    lembrei que não perdia um episódio da série "Turma do Pererê" e o 'Saci' em 'Sitío do picapau-amarelo' era demais!
    gostei muito de ler sobre algo da nossa cultura, que me fez lembrar da infância. ah, eu não sabia do dia 31 ser também do moço de uma perna só.

    gabryel fellipe - quimeras mirabolantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Byel! Eu realmente tô disposta a valorizar mais nossos livros e nossa cultura esse ano! ;)

      Excluir
    2. depois de eu ter recebido uma chamada de um escritor lá no blog, decidi fazer isso também sem protelar.

      Excluir
  3. Oiee.

    Nossa que legal sua postagem. É difícil ver algo sobre nossa cultura na rede, principalmente em blogs mais novos como os nossos. Lindo e espero ver mais.
    Eu gostava do Sítio e me divertia bastante quando pudia ver

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc gostou, Fernanda! Vc tem razão sobre termos que valorizar nossa cultura, damos muito pouca atenção à ela!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...