16.2.15

Eu sou fantástico: Vikings

Olá pessoas! No Eu Sou Fantástico de hoje não vou falar sobre uma criatura, mas sim sobre um povo muito explorado pela mitologia nórdica: os Vikings. Mais uma vez o tema é sugestão de uma leitora do blog, a Natalia, e eu adorei! Meu conhecimento sobre esse tema era bastante superficial, o que tornou minhas pesquisas ainda mais interessantes. À partir de agora passo a contar tudo o que descobri sobre esses guerreiros europeus com a esperança de que vocês gostem tanto quanto eu. :) 


Os Vikings eram um grupo que vivia na Escandinávia - hoje Suécia, Dinamarca e Noruega - que colonizaram grandes áreas da Europa e das Ilhas do Atlântico Norte entre os séculos VIII a XI. No início eles eram vistos de uma forma mais romantizada, porém, a partir do século XIX, essa imagem passou a ser a de um povo bruto, violento e aventureiro. A introdução do cristianismo fez com que a cultura viking se tornasse mais moderada, atém que teve fim no fim do século XI.

Sua principal atividade era navegar de cidade em cidade, saqueando, estabelecendo colônias e comercializando. As armas mais usadas por esse grupo eram lanças e machados, e ao contrário do que é mostrado hoje, seus capacetes não tinham chifres. A forma de escrita utilizada por eles eram as runas.

A sociedade viking era organizada como uma pirâmide, onde o superior hierárquico era o Rei, seguido dos jarls (grandes proprietários de terras), dos karls (povo livre) e, por fim, dos thralls (escravos). É importante salientar que, mesmo com os títulos e com a hierarquia, numa sociedade viking ninguém era considerado como nobre.


As famílias eram muito valorizadas, sendo que o poder ficava todo nas mãos do patriarca que, inclusive, podia decidir se seus filhos viveriam ou não após nascerem. Após o casamento as mulheres passavam a fazer parte da família dos maridos, contudo elas tinham o direito de pedir o divórcio caso houvesse motivos. Por outro lado, os maridos tinham o direito de manter concubinas e de matar suas mulheres caso essas cometessem adultério.

A mitologia era muito presente na cultura viking, sendo que eles possuíam explicações filosóficas para a existência do sol e da lua (o sol era uma deusa e a lua, um deus), e acreditavam serem perseguidos pelos lobos Skoll e Hati, filhos de Ferir (o qual, segundo ragnarok, devora Odin em batalha e morre em seguida).

A religião era politeísta, composta por cultos a seus ancestrais e pelo debate sobre as questões da vida. Para os vikings, o mundo era dividido em nove andares, todos unidos a uma enorme árvore chamada Yggdrasil. A morte era valorizada e festejada, tendo como macabra peculiaridade o fato de que no caso da morte de um homem, sua mulher favorita era enterrada viva junto a ele.


Os contos de guerreiros baseados nos vikings formaram a base para a ascensão da literatura fantástica. Os pioneiros nesse gênero foram Robert E. Howard e J. R. R. Tolkien, mas depois vieram muitos outros como por exemplo, Raymond E. Feist, Tad Williamns, Robert Jordan e Bernard Cornwell. O grande interesse dos autores por esse universo ajudou a tornar a fantasia um gênero autônomo.

Depois de tudo isso, me responda com sinceridade: os vikings podem não ser seres mágicos, mas são ou não são fantásticos?

4 comentários:

  1. Cara AMO VIKINGS *-*
    A história deles é fascinante!
    Já assistiu a série? Se você ainda não viu a série, você tem que veeeeer! (3 temporada começa amanhã no History)

    maisumleitor.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Vale lembrar tambémo Bernard Conrwell, Michelly =)
    Post muito bom!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Phelipe! Vou colocar no post agora mesmo! :) Valeu pela dica!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...