22.2.15

Ganhei um Nobel: Tomas Tranströmer

Prêmio Nobel de Literatura de 2011: Tomas Tranströmer "que, pelas suas condensadas e translúcidas imagens, nos dá um novo acesso à realidade".


Nascido no dia 15 de abril de 1931, Tomas Tranströmer é um poeta e tradutor, filho de Gösta e Helmy, que se separaram 3 anos depois do nascimento de Tomas. Assim, ele foi criado em Estocolmo, por sua mãe, que ganhava a vida trabalhando como professora. Seus verões eram vividos na ilha de Runmarö, onde o avô tinha uma propriedade, local onde veio a ser uma das inspirações do escritor para suas poesias, tempos depois. Foi nessa época que também começou sua paixão pelos insetos. Reconhecido colecionador, foi até homenageado emprestando seu nome à um tipo de besouro descoberto naquela época.

Quando adolescente, Tomas aprendeu a tocar piano, e foi o instrumento que o aproximou da poesia. Depois formou-se e começou a trabalhar como psicólogo em algumas importantes instituições de Estocolmo. Casou-se com Monica Tranströmer em 1958, com quem teve duas filhas, Emma e Paula. Em 1990, sofreu um derrame que paralisou seu lado direito, o incapacitando quase totalmente com relação à fala. Desde então ele vive numa ilha de Estocolmo, longe dos olhares do mundo e dos meios de comunicação.

Dentre as características mais marcantes de sua escrita, estão suas metáforas originais fazendo a junção do misticismo com a natureza, sua musicalidade e seu rigor. Também é possível notar sua preocupação com os segredos da existência e com as questões sociais, visto que esses são temas recorrentes em suas obras.

Em 1940 seus poemas foram publicados pela primeira vez, em uma revista estudantil. Porém seu primeiro livro só foi lançado em 1954, como título de 17 Dikter, ou seja, 17 Poemas. Desde então, Tranströmer passou a ser considerado como o principal poeta sueco de sua geração.

Podemos citar como exemplos de prêmios dados ao autor, o Prêmio Pilot, o Prêmio Literário do Conselho Nórdico, o Prêmio August e o Prêmio Nobel de Literatura.

Uma curiosidade sobre o trabalho de Tomas é que ele próprio é responsável por traduzir alguns de seus livros para várias línguas, visto que o sueco é falado por uma parte muito pequena da população mundial.

Não existem obras do autor disponíveis no Brasil, porém há um livro dele publicado em Portugal, cujo título é 50 Poemas. Também na terra de nossos colonizadores, há uma antologia contendo apenas trabalhos de poetas suecos, na qual Tranströmer é um deles. Sendo assim, os brasileiros que quiserem conhecer a obra do ganhador do Nobel terá que ler ou em português de portugal ou em outras línguas.
 

2 comentários:

  1. Oi, Michelly, tudo bem?
    Adoro escritores que fazem uso da metáfora como recuso estilístico. Espero poder conhecer a obra de Tomas Tranströmer em breve.

    Beijocas,
    Blog | Youtube | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto de metáforas, mas na medida, senão acho que fica um pouco cansativo...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...