6.2.15

Resenha: A Ascensão das Trevas


A Ascensão das Trevas - Morgan Rhodes
426 páginas


"Você não chora quando alguém a derruba. Você levanta. Levanta e revida. E logo ninguém mais vai empurrar você, porque vão ver que não vale a pena. Não deixe ninguém empurrá-la, nem fazer você chorar. Entendeu?"


Enfim pude ler o terceiro volume dessa que está se tornando uma de minhas séries preferidas, Queda dos Reinos. Depois de me conquistar com os dois primeiros volumes, Morgan Rhodes me convenceu de vez de seu talento. Sério gente, ela é tipo a versão feminina e para os mais jovens de George R. R. Martim.

Agora casados, Magnus e Cleo vivem se afrontando. Depois de descobrir que o rei Gaius foi o responsável pela morte de sua mãe, ele está cada vez mais convencido a pegar a Tétrade para si a fim de destruir seu pai. Cleo, por sua vez, tenta se aproximar de Lucia para seguir com seu plano de vingança contra os Damora.
Depois de uma passagem um tanto quanto apática no volume anterior, Lucia agora está tentando aprimorar seus elementia. Nesse caminho, a jovem feiticeira contará com uma ajuda bastante inesperada e especial.
Fechando o quarteto principal temos Jonas, o rebelde que acarretou a morte de quase todo seu grupo graças ao seu despreparo como líder de uma revolução. Agora sozinho, pois Lysandra e outros foram capturados pelo rei, Jonas quase perde a vida mais uma vez, porém um homem misterioso se junta à ele e o salva da morte.
Enquanto isso, Gaius segue na sua busca pela Tétrade, passando por cima de quem atravessa seu caminho e controlando o reino com mãos de ferro, sempre apelando para a violência para resolver seus problemas. O que ele não sabe é que Melenia, a vigilante que o visita em sonhos, tem seus próprios interesses nessa procura.
Enquanto as teias vão se entrelaçando, os quatro cristais parecem estar cada vez mais próximos. Só nos resta saber em que mãos ele cairá, se nas certas ou nas erradas. Mas, pensando bem, será que existe certo e errado nessa história?

Assim como seus antecessores, A Ascensão das Trevas é mais um livro empolgante, ágil e imperdível de Morgan Rhodes. A ação se desenrola o tempo todo dentro de uma narrativa repleta de surpresas e reviravoltas. Eu não disse que Morgan é discípula de George Martin? Então tente não se apegarmuito aos personagens, viu...
Além da mortes, ela também acompanha o bom velhinho no talento para escrever de forma que o leitor nunca sabe de onde virá o golpe. Só o que dá pra saber é que ele vem de onde menos se espera. Ninguém é confiável, todos têm uma segunda intenção.
A autora já se mostra excelente desde o primeiro livro, porém é inegável a evolução de sua escrita nesse terceiro volume da série. Mais maduro, o texto é objetivo mas sem deixar detalhes importantes de fora.
É incrível o quanto magia e aventura formam uma dupla perfeita para prender o leitor. A cada frase lida nossa sede pelo futuro da história aumenta mais, tornando praticamente impossível largar o livro. Mesclando momentos de ação com outros de romance de forma harmônica, Morgan elevou o nível de sua saga.

Com relação aos personagens, houveram mudanças significativas com relação às minhas preferências... Apesar de Magnus ainda ser meu amor maior, Cleo passou à frente de Lucia e tornou-se uma das minhas preferidas nesse livro. Ela está bem mais madura, esperta e inteligente, e eu adoro personagens com essas características. Lucia, por sua vez, mostrou que talvez não seja forte o bastante para lidar com seus elementia. Infelizmente, a princesa está vulnerável, arrogante e muito estúpida, me fazendo perder a admiração que eu tinha por ela. Enfim, agora sou team Cleo.
Aí você me pergunta: não vai falar sobre o Jonas? Falo sim. Mesmo tendo se tornado um pouco mais carismático, Jonas continua o pastel de sempre.

Mais uma vez os capítulos foram separados por personagens, sendo que mais pontos de vista foram adicionados. Como sempre digo, essa é minha forma favorita de divisão de capítulos, pois a visão que temos da história quando vários personagens a contam é muito maior do que quando a narrativa toda fica a cargo de um só.
Uma coisa que tenho reparado nos livros da Seguinte e preciso falar, é o capricho da edição. A diagramação é ótima, o livro é bem acabado, as capas são notadamente pensadas para ter ligação com a história e a rapidez com que eles fazem suas traduções é de tirar o chapéu. De verdade, tenho me impressionado muito com a editora, e dessa vez não foi diferente.
Pra quem não sabe, Queda dos Reinos seria uma série de 4 livros, mas a autora já divulgou que a história se estendeu para 6 volumes. Sinceramente acredito que tenha, sim, história suficiente pra tantos livros, ainda mais se levarmos em consideração a criatividade de Morgan que vai entrelaçando e complicando as vidas dos personagens a ponto de nos fazer pensar: onde isso vai parar?!

Bem escrito, ágil, surpreendente, mortal, apaixonante, mágico... O que você está esperando pra ler essa série?!

2 comentários:

  1. Eu prefiro a Cleo e o Jonas, mas também gosto um pouco da Lucia e do Magnus. A Lucia pode ser poderosa e tal, mas como diz o Magnus "Irrelevante", meus amores são Cleo e Jonas. Ainda não li esse terceiro, comprei mas ainda não tive chance de ler. E agora com a notícia de mais três!!! Amo essa série!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho o Jonas muito amador, Adriana. As vezes a falta de maturidade dele me irrita! hehe

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...