26.6.15

Resenha: Jonathan Strange & Mr. Norrell


Jonathan Strange & Mr.Norrell - Susanna Clarke
824 páginas


"– O senhor é mago? – indagou Mrs. Wintertowne. – Lamento saber. É uma profissão pela qual tenho um especial desagrado. – Olhou intensamente para ele, como se a desaprovação em si mesma bastasse para fazê-lo renunciar de imediato à magia e abraçar outra profissão."


Há muito que a magia virou apenas objeto de estudo na Inglaterra. Os chamados magos teóricos ficam por conta de se aprofundarem nas histórias dos magos antigos, da época do enigmático Rei Corvo. Porém há alguém no mundo capaz de executar a magia, e não somente estudá-la: Mr. Norrell, um homem que almeja tomar todo o conhecimento para si.
Tendo por fim ressuscitar a magia, Norrell reune todos os livros que encontra pelo caminho e não exita antes de destruir qualquer mago, mesmo que seja apenas um dos inofensivos magos teóricos. Depois de conseguir derrotar uma sociedade secreta dedicada à magia, provando ser capaz de executá-la, o vaidoso mago precisa fazer uma escolha, a qual traz consequências de grandes proporções.
Quando um pobre mago chamado Vinculus entra no caminho de Mr. Norrell, logo o coloca a par de uma profecia sobre dois magos e um escravo sem nome. Como esperado, Norrell, cego por sua arrogância, ignora a tal profecia. Mas não é apenas Vinculus que cruza seu caminho...
Ao conhecer Jonathan Strange, que já havia sido informado sobre a profecia mas também não deu importância, Norrell abre a guarda e o aceita como aprendiz. Aos poucos Strange vai ampliando seus conhecimentos sobre magia e se espelha no mestre no egoísmo com relação à distribuir conhecimento.
Durante toda a narrativa há um assunto preferido entre ambos: John Ukglass, mais conhecido como Rei Corvo. Tanto Norrell quanto Strange insistem que as histórias contadas sobr o peculiar personagem são irreais, porém talvez as coisas não sejam bem assim. Segundo a lenda, o Rei Corvo foi o responsável por trazer a magia ao mundo e controlou quatro reinos ao mesmo tempo.

E é entre conspirações e magia que Jonathan Strange & Mr. Norrell se desenrola. São mais de 800 páginas de um texto muitas vezes ironico, o qual levou 10 anos para ser escrito.
A ambientação na Era Vitoriana valorizou a história, trazendo um ar nobre muito bem vindo. Os personagens são realistas, apresentando características que tendem hora para o bem, hora para o mal, como qualquer ser humano normal. Isso também somou pontos para a obra, pois é importante dosar a fantasia com algum grau de realidade.
Com relação ao desenvolvimento do texto, dividido em três partes, tive problemas com o início, dedicado à Mr. Norrell. Não raro me peguei desinteressada pela leitura, acredito que em grande parte graças à chatice do personagem, que acabou contaminando a narrativa. Porém, com a introdução de Strange s coisas mudam e é possível encontrar até traços de humor em sua parte. Apesar dele não ser o bonzinho da história, pelo menos não é tão insuportável quanto Norrell, o que permitiu que a leitura desse uma agilizada.
Vale frisar o recurso incrível que a autora utilizou ao falar de um personagem durante todo o livro e ao final apresentá-lo, para que o leitor pudesse conhecê-lo de fato, tirando assim suas próprias conclusões.
Outra peculiaridade da obra foi o uso de notas de rodapé para explicar a própria história a que os personagens se referiam no livro. Particularmente, preferia um texto corrido à essas notas, entretanto reconheço que els servirão bem ao seu fim, que era localizar o leitor no que estava sendo narrado.
Apesar de ter achado a leitura um pouco cansativa (e isso não é culpa da quantidade de páginas, já que gosto de livros grandes), a história criada por Susanna Clarke é intrincada na medida, bem explicada, narrada de uma forma que se faz entender e muito criativa. Com certeza a competência da autora ficou mais do que provada.
O final aberto deixa margem para que a história continue e, nesse caso, vou ter o prazer de me aventurar por mais um universo criado por ela. Se você é fã de literatura fantástica e não dispensa um livro bem escrito e extremamente inteligente, se aventure também por essas páginas que nos levam da Inglaterra a reinos nunca antes imaginados. Uma coisa eu garanto, o esforço do começo vai valer a pena no final.

2 comentários:

  1. Michelly, eu baixei essa série e ainda não vi. Você já viu? Se viu, gostou? Eu não sabia que a série era baseada num livro, mas é bom saber que essas 800 páginas valem a pena.
    Beijo! ^_^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu soube que tinha série depois que pedi o livro, mas ainda não assisti... :)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...