6.7.15

News: o que rolou na Flip 2015

Eis que mais uma Flip chega ao final, e como não poderia deixar de ser, o Mais Uma Página conta tudo o que rolou nesses 5 dias de Festa Literária!


A Flip (Festa Literária Internacional de Paraty) acontece anualmente, desde 2003, e esse ano foi do dia 1º de julho até ontem, 5 de julho. Ela é considerada um dos principais festivais literários do Brasil e da América do Sul, sendo financiada por vários patrocinadores e conduzida pela organização sem fins lucrativos Associação Casa Azul. Além de palestras, também são realizadas discussões, oficinas literárias e eventos paralelos para crianças - Flipinha - e jovens - Flipzona.

Esse ano, uma situação inesperada frustrou quem estava ansioso pelo debate com Roberto Saviano, escritor de Gomorra que, por causa do livro, foi jurado de morte pela máfia italiana e vive sob proteção policial em tempo integral. A dois dias do início da Festa, ele cancelou sua participação por motivos de segurança.

1º dia


Como tradição, o evento deu o pontapé inicial tendo como tema da sessão de abertura o homenageado do ano, Mário de Andrade.

Curiosamente, o ator Pascoal da Conceição, que interpretou Mário de Andrade na minissérie da Globo "Um só coração", interrompeu a fala do biógrafo Eduardo Jardim para declamar o poema Meditação sobre o Tietê. Pascoal, caracterizado como Mário e com um buquê de flores nas mãos, andou pela plateia até chegar ao palco, onde se declarou muito feliz "pela descoberta do que realmente significa o Mário de Andrade". Em seguida o curador da Flip encerrou o debate dizendo que a participação do ator foi inesperada mas que fugas no script são bem-vindas - às vezes, ressaltou.

Depois da conferência de abertura o público pôde assistir a um show com os cantores Luís Perequê e Dani Lasalvia e o grupo Os Caiçaras.

2º dia


Os destaques do 2º dia de Flip ficaram por conta da participação de Colm Tóibín, autor de O testamento de Maria e Nora Webster, e da mesa Do Angu ao Kaos, um debate com o músico tropicalista e escritor Jorge Mautner e com o escritor Marcelino Freire.

Tóibín falou sobre poesia, processo de escrita e política. O momento mais marcante de sua participação foram seus comentários a respeito da legalização do casamento gay em seu país, a Irlanda. "Nessa campanha, incentivamos as pessoas a contar sua própria história, e aí as pessoas começaram a sair do armário [...]. No final, achei que o país inteiro, um por um, fosse sair do armário, até o arcebispo de Dublin", disse com o bom humor que marcou todo o debate.

A mesa Do Angu ao Kaos, definida pela própria curadoria como "proibida para menores", contou com a participação de Jorge Mautner, compositor de Maracatu Atômico e Lágrimas Negras, e de Marcelino Freire, autor de Angu de Sangue e Nossos Ossos. O encontro foi animadamente permeado por assuntos polêmicos como a redução da maioridade penal, o cancelamento da participação de Roberto Saviano e a onda conservadora que invadiu o país. Marcelino declarou, ainda, estar feliz com a escolha do homenageado da Flip 2015 dizendo que "eu, como homossexual - eu, como homossexual! - estou feliz com uma homenagem ao escritor Mário de Andrade".

Além das mesas citadas, o dia também apresentou os temas que transitaram da política até a ciência, incluindo a sessão "Poesia à capela", com o inglês Lemn Sissay e a brasileira Elisa Lucinda.

3º dia


O terceiro dia da Flip começou de forma excelente com o renomado escritor Boris Fausto, que criticou tanto PT quanto oposição, sendo aplaudido de pé, e falou também sobre a morte da esposa e livro que escreveu sobre perda. Questionado se já superou o luto, Fausto respondeu: "Totalmente. Eu sou capaz de falar da história de Cinira sem chorar. Eu era incapaz de fazer isso". A mesa de Boris foi a mais aclamada pelo público dessa edição.

Ngũgĩ wa Thiong'o, escritor africano que já foi cotado por diversas vezes para o Prêmio Nobel de Literatura, se diz honrado por isso mas afirma que, se pudesse, daria o Prêmio à Jorge Amado, de quem é assumidamente fã.

O dia, que teve discussões sobre São Paulo, Brasil, ilusões da mente e amor, contando com a participação de vários autores respeitados, teve seu desfecho com a mesa Os Imoraes. Nessa sessão o escritor Reinaldo Moraes e crítica Eliane Robert Moraes discutiram sobre literatura erótica. Eliane fez duras críticas ao best seller Cinquenta Tons de Cinza, dizendo que o livro "não coloca nenhuma questão nova. Ele não te tira do lugar. Se você pegar um livro da Hilda Hilst ou um poema do Roberto Piva, aquilo mexe com você".

4º dia


O penúltimo dia da Festa Literária seria o grande dia da participação de Roberto Saviano, que cancelou sua vinda ao Brasil poucos dias antes do início do evento. Porém o escritor enviou um vídeo explicando os motivos do cancelamento que foi exibido em partes antes do início da mesa Jornalismo de Guerrilha, a qual ele participaria, sendo substituído por o Ioan Grillo e Diego Osorno. O vídeo completo foi exibido no final da Flip.

Neste dia também teve Arnaldo Antunes e Karina Buhr recitando poemas com trechos cantados à capela. Assim como Boris Fausto, a dupla também foi ovacionada depois de levantar a plateia que cantou e dançou ao som de um pandeiro. Karina também falou sobre feminismo.

Viagens, matemática e quadrinhos também estiveram entre os assuntos debatidos nesse penúltimo dia.

5º dia


E depois de 5 dias respirando literatura na paradisíaca Paraty, a Flip chegou ao fim neste domingo, tendo como destaques a MPB, literatura policial e mais Mário de Andrade.

No debate cujo tema foi a música popular brasileira, houve controvérsia entre os convidados. Enquanto o pesquisador José Ramos Tinhorão polemizou dizendo que Tom Jobim era um coitado, que "a bossa nova tem ritmo de goteira e é puro jazz pasteurizado" e que a MPB sempre fracassou no exterior; o compositor, escritor e poeta Hermínio Bello de Carvalho disse que considera Tom um grande compositor e que a MPB não só deu certo como também é respeitada lá fora.

O vídeo completo de Roberto Saviano foi divulgado na mesa de encerramento, na qual José Miguel Wisnik se dedicou a falar um pouco mais sobre Mário de Andrade, fazendo um desfecho emocionado e inesquecível. Houve, ainda o tradicional encontro de autores participantes lendo trechos de seus livros prediletos.

O livro mais vendido da Festa foi Jóquei, da escritora e poeta portuguesa Matilde Campilho. Mário de Andrade ficou com o segundo lugar com o box contendo os títulos Amar, Verbo Intransitivo; Macunaíma e Contos Novos.

Ao final da Flip 2015, um cortejo de maracatu saiu pela cidade fazendo a festa se diluir e deixando a todos com aquele gostinho de quero mais, sedentos pela próxima Festa Literária. E se Deus quiser, o blog estará aqui, firme e forte, trazendo tudo o que rolar por lá pra vocês. Quem sabe na próxima eu até não consigo ir à Paraty ver tudo isso de perto?! :)

4 comentários:

  1. Hey!
    Ahhhh, deve ter sido tão bom o evento!
    Gostei muito dos assuntos debatidos, ótimos!

    Beijos,
    http://heartbreaker-girls.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Mi, tudo bom?
    Nossa amei visitar seu blog hoje. Ai que vontade de ter ido na Flip!!!
    Adorei as fotos, deve ter sido muito bom ^^
    Que pena que o Roberto Saviano não foi :/
    Esses eventos deveriam ter mais vezes no ano e em todos lugares do Brasil!

    beijos
    Paulinha
    http://penseira-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Paula! Se fossem mais perto da minha cidade eu iria em todos! hehe

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...