1984


Autor: George Orwell
Editora: Companhia das Letras
Nota: 5/5

Winston Smith vive na Oceania, uma das três nações existentes no futurístico ano de 1984. Bom, pelo menos era futurístico em 1948, ano em que o livro foi finalizado (sendo publicado em 1949). O lugar é controlado pelo Partido, uma organização política totalitarista que tem como líder a figura emblemática do Grande Irmão. A vida da população é observada em absolutamente todos os lugares, através de teletelas. O governo, por sua vez, reprime qualquer manifestação de pensamento que vá de encontro às atitudes do Partido.

Acontece que Winston não está satisfeito com a vida que leva, o que o deixa inquieto e provoca questionamentos que podem lhe custar muito caro. Seu espírito libertário se torna ainda mais aguçado quando ele conhece, e se apaixona, por Júlia. Os dois passam a viver um tórrido caso de amor, mas o Grande Irmão está de olho e dificilmente irá vai perdoar essa afronta.

Junte um enredo interessante, com uma narrativa magistral e personagens extremamente realistas. O resultado será 1984.

Porém, acima da obra está o autor. George Orwell conquistou meu respeito e admiração de maneira inquestionável ao apresentar um dos textos mais inteligentes com o qual me deparei. Uma das coisas que mais impressiona sobre essa obra é que, apesar de ter sido escrito há quase 70 anos, sua história continua sendo atual, e tudo indica que assim será por muito tempo. As críticas feitas à sociedade daquela época se encaixam perfeitamente hoje em dia.

Somos vigiados dia e noite, seja pela ação de governos que espionam não só a sua vida como também outras nações; seja por nossa própria vontade, quando divulgamos todos os nossos passos nas redes sociais. Aliás, seriam essas nossas teletelas?

Dentre outros paralelos que podemos traçar, estão as tentativas de manipulação que sofremos todos os dias, como no caso da mídia tendenciosa, a qual impõe seu pensamento à população como se esse fosse o único e o correto. O mais triste é que, muitas vezes, esse tipo de imprensa consegue direcionar o pensamento das pessoas para onde eles querem. Manipulação pura, assim como, guardadas as devidas proporções, Winston era obrigado a fazer, reescrevendo a história dos livros e jornais, modificando os fatos de acordo com os interesses do Grande Irmão.

Outro ponto em comum é o fato de que, assim como o Partido, os maus governantes fazem de tudo para coibir o desenvolvimento do raciocínio crítico da população e usam a doutrinação ideológica como uma forma de controle social. Essa situação foi retratada por Orwell no seu Dois Minutos do Ódio, quando as pessoas gritam e ofendem um inimigo que eles nem sabem se existe, ou se realmente é o verdadeiro algoz da história. Trazendo a questão para a atualidade, obviamente, o fato de não haver investimento em educação não é simplesmente uma questão de verbas, tendo em vista que uma população bem educada estaria atenta aos desmandos de políticos corruptos e falaciosos.

Também estão entre os pontos-chave do texto a teoria proposta sobre o processo de luta pelo poder envolvendo os altos, médios e baixos; e a construção da narrativa ambientada no quarto 101. A história de Orwell, como um todo, desencadeia discussões sobre questões profundas do ser humano, muitas das quais só um livro dessa grandeza pode nos fazer refletir.

No mais, fica o ensinamento de que 2 + 2 = 4. E nada muda isso.

Comentários

  1. Oi Milly,
    Tenho esse livro acho que a uns 3 anos, e nada de pegar ele pra ler, acho que vou colocar como meta de janeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloca sim, Rudi!
      Ele é um dos meus livros preferidos, espero que vc goste tanto quanto eu! :)
      Beijo!

      Excluir
  2. Oi Michelly é um dos melhores livros que já li, é difícil, tenso, mas incrível! Preciso reler!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi!
      Realmente é um livro difícil e tenso, mas incrível!
      Sei que sou suspeita pra falar pq é um dos meus livros preferidos, mas recomendo pra todo mundo!
      Beijos!

      Excluir
  3. Oi, Michelly! Tudo bem? Menina! Eu sou doido para ler esse livro! Doido mesmo. A premissa é ótima e toda crítica é positiva. Espero lê-lo algum dia! :)

    Abraço

    tonylucasblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tony!
      Então leia que vc vai amar!
      Mas leia atento às entrelinhas pq é lá que Orwell passa seu recado. :)
      Beijos!

      Excluir
  4. Ola,
    Eu tenho muita vergonha de não ter lido Orwell até hoje, é um autor que eu tenho certeza que vou gostar e não sei o por que fico protelando a leitura.
    Alguns autores, como ele, conseguem escrever livros que permanecem relevantes por décadas, como você mesmo citou, recentemente li 'A Máquina do Tempo' do Wells que me surpreendeu em como a história tem uma critica social que serve para os dias de hoje, e o livro foi escrito no final de 1800.
    xoxo

    Planeta 94

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jason!
      Acho que todo mundo tem aquele autor, ou aquele livro, que não leu até hoje e não sabe o porquê. O meu é o Tolstói! :/ Mas esse ano vou resolver isso, quem sabe vc tb se joga no Orwell aí! hehe
      Os livros dele realmente permanecem atuais e é uma ótima oportunidade para refletirmos sobre nossa sociedade.
      Ainda não li A Máquina do Tempo, mas está na minha lista de futuras leituras! :)
      Beijos!

      Excluir

Postar um comentário