10 melhores leituras de 2017


Mal piscamos e 2017 acabou. Desculpe o clichê, mas o tempo está passando rápido demais, vocês não acham? Parece que foi ontem que estava às voltas com meu dilema "ser ou não ser" literário e agora estou aqui: preferências redefinidas, leituras bombando e o blog na ativa novamente.

O ano passado foi importante pra mim em tantos sentidos que eu ficaria horas escrevendo e vocês gastariam horas lendo meu relato. Não vou fazer isso com vocês (nem comigo), mas garanto que foi um ano muito bom e eu só tenho a agradecer a Deus por ter chegado até aqui tão bem e confortável com todas as mudanças que ocorreram. E muita coisa mudou, não foi só meu gosto literário, viu?!

Mas o que interessa hoje é que, finalmente, chegou aquela hora de fazer a lista das melhores leituras do ano. Hora boa, que eu adoro, e que estou ansiosa para compartilhar com vocês. Só pra constar, a lista está por ordem cronológica que realizei a leitura, e não por preferência. Espero que aceitem todos esses livros como ótimas sugestões. Vocês não vão se arrepender!

1. O Morro dos Ventos Uivantes

Emily Brontë foi extremamente competente ao narrar os caminhos tortuosos percorridos por Catherine e Heathcliff, ambos corroídos por seu amor doentio. A história é trágica e sufocante em muitos pontos, mas a escrita magistral da autora me prendeu do início ao fim. Como se não fosse o bastante, esse livro também é especial por ter aberto às portas para que eu conhecesse, e me apaixonasse, pelas irmãs Brontë.

2. A Morte da Luz

Sou fã confessa de George Martin e tenho uma forte tendência a gostar de tudo o que ele escreve. Mas não pense que eu julgo só com a emoção, viu?! Martin merece respeito porque é simplesmente um dos melhores autores da atualidade. E isso já estava claro desde esse primeiro romance, uma ficção científica que nos envolve e não cai na armadilha de um texto técnico demais, que é o que encontramos em algumas obras do gênero.

3. A Hora da Estrela

Um livro devastador, eu diria, e que me marcou profundamente. Até agora, depois de quase um ano da leitura, fico meio agoniada quando penso na triste história de Macabéa, narrada pelo detestável Rodrigo. Ao usar a técnica do fluxo de consciência, Clarice nos transporta para dentro dos pensamentos do narrador, intensificando a experiência do leitor. Foi o primeiro livro da autora que li, o suficiente para me convencer a ler tudo o que foi publicado por ela.

4. Jane Eyre

Antes de terminar a leitura desse livro, já sabia que ele estaria aqui. E ele se transformou em muito mais que um dos melhores do ano, mas também em um dos preferidos da vida. Charlotte Brontë descreve a jornada da personagem-título de uma forma muito bonita, direcionando nossos sentimentos da tristeza à esperança com maestria. Além de tudo, esse é um romance de formação escrito na Era Vitoriana. Não poderia pedir mais nada.

5. Vozes de Tchernóbil

Se você decidir ler esse livro, saiba que o impacto é inevitável. Ele é formado por relatos de pessoas que viveram na época do desastre nuclear da usina de Tchernóbil, os quais foram reunidos pela ganhadora do Nobel, Svetlana Aléksievitch, de forma bastante competente. Alguns relatos são até difíceis de ler, tamanha a crueldade cometida contra aquelas pessoas. Mas, muito mais do que um livro triste, a obra representa uma dura crítica social.

6. Crime e Castigo

O que dizer de Dostoiévski que ainda não foi dito? Não foi à toa que o russo conquistou o lugar de um dos autores mais importantes do mundo, e eu escolhi logo um de seus trabalhos mais relevantes para conhecê-lo. O resultado foi que me apaixonei perdidamente tanto pela história do equivocado Raskólnikov, quanto pela narrativa conflituosa, que chega a ser até um pouco truncada e confusa. Mesmo tendo lido apenas um livro do autor até o momento, já foi o bastante para virar fã.

7. Lolita

Lolita é uma obra narrada em primeira pessoa por um homem extremamente persuasivo que nos obriga a lembrar, a todo momento, que sua versão da história não é confiável. A trama envolve distúrbios psicológicos e pedofilia, tendo sido banido no Reino Unido e até na França, país onde foi originalmente publicado. O livro de Nabokov apresenta um dos inícios mais belos da literatura, seguido por um texto rico e poético.

8. A Metamorfose

Essa foi mais uma das leituras tão maravilhosas quanto inquietantes que fiz em 2017. A história criada por Kafka nos causa mais estranheza pela maneira com que os personagens lidam com o fato de uma pessoa ter se transformado num inseto monstruoso do que propriamente pela transformação em si. É um livro intrigante, daqueles que nos deixam curiosos, ávidos pelas páginas seguintes. E como é bem curto, acabei lendo tudo de uma vez. Maravilhoso.

9. Frankenstein

Me encantei pela escrita de Mary Shelley e me surpreendi positivamente por encontrar uma trama muito mais filosófica e introspectiva do que esperava. Dentre as reflexões que foram propostas, acredito que as mais importantes dizem respeito a forma que encaramos nossas crenças e sobre o que pensamos acerca de responsabilizar as pessoas por seus atos. O desfecho do livro também foi algo que me agradou bastante, fazendo com que eu gostasse de Frankenstein, literalmente, do início ao fim.

10. Edgar Allan Poe - Medo Clássico

Por fim, não poderia faltar essa coletânea de contos do mestre do terror, a qual inclui duas traduções do poema O Corvo, além do original, em inglês. Os contos são maravilhosos, alguns mais aterrorizantes, outros mais curiosos e alguns até mais sentimentais, mas todos instigantes e magistralmente escritos. O famoso poema de Poe superou minhas expectativas, que já estavam altas, conquistando um lugar cativo entre meus preferidos.

Comentários

  1. Oi Michelly
    Quantos clássicos na sua lista, eu preciso ler mais clássicos
    Até que em 2017 eu li A cor púrpura, já leu? Achei uma obra excelente
    E já li Edgar Allan poe, mas há muuuito tempo atrás, bem sombrio mas adorei
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol!
      Esse ano passei a me interessar mais pelos clássicos e tem sido uma experiência maravilhosa!
      Ainda não li A Cor Púrpura mas tenho muita vontade. Só vejo opiniões positivas e acho que é o tipo de livro que gosto.
      Eu já tinha lido alguns contos do Poe mas ler uma obra totalmente dedicada à ele, com vários contos e o poema O Corvo, superou minhas expectativas. Parece que a Darkside tem a intenção de lançar um volume 2 de Medo Clássico do autor, caso isso seja confirmado, com certeza vou ler! :)
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá Michelly, primeiramente Feliz Ano Novo!

    Os seus comentários sobre as irmãs Brontë têm me deixado cheia de vontade de começar a explorar essas obras, sendo o principal candidato "Jane Eyre"; gosto muito de Jane Austen e Elizabeth Gaskell, por isso penso que vou amar esses romances de época tão aclamados, vamos ver...

    Li a Metamorfose e Crime e Castigo em 2017 também, e não tenho nem o que falar, Kafka é um dos meus autores preferidos e Dostoiévski me mostrou que as possibilidades da Literatura são mais amplas que eu pensei (que história foi aquela? Será que existe um personagem mais emblemático que o Ródia?)

    Clarice Lispector é uma das autoras que quero conhecer esse ano... De novo comento, não gostei muito de Frankenstein rsrsrsrs

    Bjim
    CAFÉ E BONS LIVROS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kelly!
      Feliz 2018! :)
      Fico feliz que minha doutrinação sobre as Brontë está dando resultado! kkkkkkkk... Mas falando sério, eu quero mesmo que todo mundo conheça essas irmãs porque elas são muito maravilhosas! Espero que vc goste de Jane Eyre que, pra mim, é um dos melhores livros já escritos! hehe
      Só li Orgulho e Preconceito da Austen mas pretendo ler a obra completa. Elizabeth Gaskell vou conhecer esse ano, através de Norte e Sul. Acho que é o livro mais esperado do ano!
      Tanto A Metamorfose quanto Crime e Castigo foram uma porrada tão grande que reverberam no meu subconsciente até hoje. Existe mesmo essa coisa de mestres da literatura né, e tanto Kafka quanto Dostô merecem o lugar que ocupam.
      E eu sei que Ródia é todo errado, mas como não amar???
      Beijos!

      Excluir
  3. Ola,
    Seu relato de como se apaixonou pelas irmãs Brontë atravez de O Morro dos Ventos Uivantes poderia ter sido escrito por mim, nunca vou esquecer o dia que passei agarrado a esse livro, sem conseguir soltar até ler a última linha, esse é de longe um dos meus livros favoritos DA VIDA.
    Eu não tive uma boa experiência lendo Jane Eyre, porém recentemente descobri que o que tinha lido era uma versão adaptada, não o original, por isso vou tentar dar uma segunda chance a esse livro.
    FRankenstein é meu livro de horror clássico favorito, a escrita da Shelley é maravilhosa, meo deos <3, é uma pena não ter tantos trabalhos dela publicados :/
    Eu ainda não li alguns livros da sua lista, mas Crime e Castigo e Lolita estão na minha lista de livros para ler em 2018.
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ozzy!
      O Morro tb é um dos meus favoritos da vida, assim como Jane Eyre. Tomara que você se apaixone por Jane dessa vez, é um livro tão lindo!
      Também gostei mt da escrita da Shelley. Até a parte do monólogo do monstro foi gostoso de ler. Na verdade, foi minha parte preferida do livro!
      Tomara que vc goste tanto de Crime e Castigo e Lolita qt eu!
      Beijos!

      Excluir
  4. Viva,

    Sou mais virado par FC e Fantasia mas sem duvida que um bom livro é bom seja em que género for, li Crime e Castigo e sem duvida é uma grande obra, Poe é Poe e Martin vale sempre a pena ler :D

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fiacha!
      Também sou fã de fantasia e até gosto bastante de ficção científica, mas esse ano a maioria das minhas leituras foram clássicos. Crime e Castigo me fez ter vontade de ler outras obras de Dostoiévski, então esse ano vou ler Contos Reunidos. Poe foi uma grande descoberta pra mim. Já esperava algo bom, mas foi melhor! E Martin é Martin, amor da minha vida literária! kkkkkk
      Beijos!

      Excluir
  5. Oi Milly,
    Adivinha quem não leu nenhum desses livros... o/
    Até coloquei A Morte da Luz como meta para o ano passado mas... enfim, quem sabe esse ano vai, tenho uma edição em dois volumes de Crime e Castigo que está em estado de deterioração aqui e eu ainda não li, quem sabe esse ano...
    Grande abraço!!!
    Hiattos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudi!
      Eu sou meio suspeita pra falar do Martin, né, mas espero que esse ano dê pra vc ler A Morte da Luz sim, e que vc goste tanto quanto eu!
      Eu já ouvi dizer que as traduções dos russos que não são diretas, não são muito boas. Parece que tiram um pouco das características originais do texto. Dá uma olhada na tradução do seu Crime e Castigo antes de ler, pq seria uma pena vc não gostar de uma obra tão magnífica por culpa da tradução. :)
      Beijos!

      Excluir

Postar um comentário