Oscar 2018


Além da literatura, desde a infância sempre tive uma grande paixão pelo cinema. Num determinado momento da minha vida o amor pelos livros foi crescendo e sufocando os outros, deixando um espaço menor para eles, incluindo os filmes Mas ele não morreu, apenas arrefeceu.

De uns tempos pra cá sinto esse amor ressurgir e achei que seria uma boa ideia colocar um velho plano em prática: assistir a todos os filmes indicados ao Oscar antes da premiação, para que eu pudesse ter minha própria opinião sobre cada um deles.

Confesso que todo ano penso nisso, mas acabo ficando só no planejamento. Pois esse ano foi diferente, consegui cumprir o desafio que me impus e senti vontade de vir aqui, no meu blog dedicado aos livros, falar um pouco de cinema e das minhas expectativas com o Oscar desse ano (que acontece amanhã) com vocês. Os filmes estão na ordem em que eu os assisti.

Vamos aos indicados!

A Forma da Água

Título original: Shape of Water
Direção: Guillermo del Toro
Outras indicações: melhor direção (Guillermo del Toro), melhor atriz (Sally Hawkins), melhor ator coadjuvante (Richard Jenkins), melhor atriz coadjuvante (Octavia Spencer), melhor roteiro original, melhor fotografia, melhor figurino, melhor mixagem de som, melhor edição de som, melhor design de produção, melhor montagem e melhor trilha sonora original.

Com essas 13 indicações, a história do encontro da faxineira muda e da criatura aquática misteriosa encabeça a lista dos mais prestigiados na edição do Oscar de 2018. Ambientada em meio à Guerra Fria, a trama deixa clara sua intenção de representar os diferentes, além de fazer uma belíssima homenagem ao cinema. Numa das sacadas mais interessantes do filme, a protagonista faz uma ligação muito tocante entre ela e a criatura, questionando se o fato de ser diferente a faz menos importante que os "normais". Mas é tudo muito singelo e poético, apresentado através de uma fotografia incrível mas que, ainda assim, não ganha da de Dunkirk para mim. Já a trilha sonora é, sim, a melhor de todas e merece muito levar esse prêmio, assim como Sally Hawkins merece levar o de melhor atriz e Octavia Spencer merece o de atriz coadjuvante (apesar de que sou fã da Octavia e sempre acho que ela deve ganhar qualquer prêmio que seja indicada).

Dunkirk

Título original: Dunkirk
Direção: Christopher Nolan
Outras indicações: melhor direção (Christopher Nolan), melhor fotografia, melhor mixagem de som, melhor edição de som, melhor design de produção, melhor montagem e melhor trilha sonora original.

Dunkirk retrata a Operação Dínamo, que consistiu na retirada de milhares de homens das Forças Armadas britânicas, belgas e francesas, os quais estavam encurralados pelas tropas de Hitler, durante a Segunda Guerra Mundial. É um filme de guerra diferente de tudo o que vemos por aí. É imersivo, explorando dramas pessoais em detrimento do já saturado modelo que foca no coletivo. Particularmente, adoro Nolan e sua tendência a trazer alguma moral para suas produções, portanto, mesmo não achando que Dunkirk levará o prêmio máximo, gostaria muito que ele ganhasse como melhor direção. Outro prêmio que acho merecido é o de fotografia, visto que a escolha de ângulos e cores foram as melhores possíveis, impressionando do início ao fim.

Três Anúncios para um Crime

Título original: Three Billboards Outside Ebbing, Missouri
Direção: Martin McDonagh
Outras indicações: melhor atriz (Frances McDormand), melhor ator coadjuvante (Woody Harrelson e Sam Rockwell), melhor roteiro original, melhor montagem e melhor trilha sonora original.

O ganhador do Globo de Ouro 2018 na categoria drama é a grande aposta de muitos espectadores e críticos para levar o grande prêmio do Oscar também, e eu me incluo nesse grupo. É um filme impactante cujo enredo foca numa mãe em busca de justiça - ou seria vingança - pela morte violenta de sua filha, que foi estuprada antes de ser assassinada. Interessante perceber como as várias formas de canalizar sentimentos destrutivos como ódio e frustrações foram trabalhadas através de um elenco afiadíssimo, que deu um show, sem exceções. Inclusive, torço muito para que Sam Rockwell ganhe como ator coadjuvante porque não há palavras para definir o quão fantástico ele está naquele papel dificílimo. O final aberto, motivo de algumas críticas, me pareceu perfeito para dar o tom de realidade que a produção carecia. Fechou com chave de ouro.

O Destino de uma Nação

Título original: Darkest Hour
Direção: Joe Wrigth
Outras indicações: melhor ator (Gary Oldman), melhor fotografia, melhor figurino, melhor maquiagem e cabelo e melhor design de produção.

Qualquer obra que se refira à Churchill vai me interessar. Sendo assim, enquanto todos falavam sobre a fábula adulta dirigida por del Toro (A Forma da Água), eu queria mesmo era ver o filme de Wrigth. Acabei vendo A Forma da Água primeiro mas é totalmente culpa do meu marido que queria ver O Destino de uma Nação comigo mas ficou fazendo hora. Ao contrário do que pensei, essa não é uma biografia do famoso primeiro-ministro britânico, mas sim um recorte mostrando o turbulento início de sua atuação em meio à Segunda Guerra. É a produção mais elegante entre as indicadas, mais até que Trama Fantasma cuja história foca na vida de um estilista. Gary Oldman, ganhador do Globo de Ouro, também merece ganhar como melhor ator, já que é até difícil reconhecê-lo no papel. E isso não só pela maquiagem fantástica, mas principalmente pela atuação irretocável.

Trama Fantasma

Título original: Phantom Thread
Direção: Paul Thomas Anderson
Outras indicações: melhor direção (Paul Thomas Anderson), melhor ator (Daniel Day Lewis), melhor atriz coadjuvante (Lesley Manville), melhor figurino e melhor trilha sonora original.

Confesso, e tenho vergonha disso, que estou apaixonada por Daniel Day Lewis. O protagonista de Trama Fantasma é metódico, crítico ao extremo e sincero ao ponto da grosseria, mas o que um bom ator não faz com a gente, né?! Dos indicados a melhor filme, esse é um dos que tem o ritmo mais lento. A história de amor entre o estilista e a moça aparentemente boba tem um viés doentio que nos deixa confusos em vários momentos. Pra mim, esse filme trata da história de almas atormentadas e incompletas, apresentada através de um enredo sufocante que, por vezes, corre o risco de parecer enfadonho. Se eu não tivesse torcendo pro Gary Oldman, até torceria para Day Lewis; assim como eu torceria por Trama na categoria de trilha original, se minha torcida não fosse para A Forma da Água.

Corra!

Título original: Get Out
Direção: Jordan Peele
Outras indicações: melhor direção (Jordan Peele), melhor ator (Daniel Kaluuya) e melhor roteiro original.

Corra! traz a história de um jovem afro-americano que vai conhecer a família de sua namorada e acaba numa situação de vida ou morte. Gostei muito desse filme mas, sinceramente, não entendi sua indicação. Me senti assistindo um tipo mais complexo de "Pânico" ou filmes do tipo e acho que o potencial de discutir conflitos raciais foi completamente desperdiçado. Outro problema pra mim foram as atuações caricatas de Rose e família. Mesmo que isso tenha sido proposital, o que não pareceu, passou um pouco da medida e soou canastrão. Enfim, foi um ótimo entretenimento mas está muito aquém dos outros indicados.

The Post - A Guerra Secreta

Título original: The Post
Direção: Steven Spielberg
Outras indicações: melhor atriz (Meryl Streep).

Os "Papéis do Pentágono" (Pentagon Papers) são um documento de 14 mil páginas que revela informações sigilosas sobre a Guerra do Vietnã e que revoltaram a população dos EUA ao serem publicados, inicialmente, pelo The New York Times. Quando o jornal foi processado pelo então presidente Nixon, o The Washington Post passou a publicá-los e é esse o enredo da produção de Spielberg (que imperdoavelmente não foi indicado na categoria direção). O filme é um tanto confuso para quem não conhece a fundo a história retratada e lembra muito Spotlight, o que não é de se estranhar, já que ambos foram produzidos por Josh Singer. Um bom filme com ótimas interpretações, com direito a mais uma indicação para Meryl Streep. Mereceu a indicação mas não é meu favorito para levar o troféu.

Lady Bird - A Hora de Voar

Título original: Lady Bird
Direção: Greta Gerwig
Outras indicações: melhor direção (Greta Gerwig), melhor atriz (Saoirse Ronan), melhor atriz coadjuvante (Laurie Metcalf), melhor roteiro original.

Lady Bird acompanha a rotina de uma garota de 17 anos que sonha em sair de sua cidade natal e vive em conflito com sua mãe. É o típico drama da adolescente rebelde sem causa. A imagem romantizada de Lady Bird, que na verdade é egoísta e irresponsável, é um péssimo exemplo para os jovens cada vez mais influenciáveis de hoje em dia. Acho que já é hora de pararmos de celebrar a falta de compromisso e a "vida louca sem limites", né? O filme até tenta atingir uma certa profundidade com o drama entre mãe e filha mas falha miseravelmente nessa missão, já que a discussão é rasa e cheia de clichês. A melhor interpretação, pra mim, foi a de Lucas Hedges, que também foi impecável em Três Anúncios para um Crime e surpreendentemente não foi indicado por nenhum dos dois. Enfim, seria uma pena se um filme digno de sessão da tarde ganhasse o Oscar desse ano.

Me Chame Pelo Seu Nome

Título original: Call Me by Your Name
Direção: Luca Guadagnino
Outras indicações: melhor ator (Timotheé Chalamet), melhor roteiro adaptado, melhor canção original (Mystery of Love).

Apesar de ter sido vendido muitas vezes como um romance, acho que Guadagnino foi além ao mostrar a jornada de um jovem se descobrindo, e não só sexualmente. A forma leve com que toda essa descoberta foi narrada é o grande trunfo da produção, a qual elimina o dramalhão para dar lugar à naturalidade com que o assunto deveria ser tratado, sem bandeiras e sem separação entre "nós" e "eles" (divisão que vem de ambos os lados). Apesar de ter gostado da história, houve um uso inadequado de longos períodos de silêncio e de contemplação, deixando o filme lento demais, cansativo ao ponto de, num determinado momento, eu já estar ansiosa pelo final. Gostei da interpretação de Timotheé, mas vendo sua atuação em Lady Bird não pude deixar de pensar que ele é daqueles atores que têm um jeito tão próprio de interpretar que correm o risco de todos os seus personagens ficarem parecidos. Pra mim, Armie Hammer foi o grande destaque entre o elenco.

Meu ranking:

1º. Três Anúncios para um Crime
2º. A Forma da Água
3º. O Destino de uma Nação
4º. Dunkirk
5º. Trama Fantasma
6º. Me Chame pelo Seu Nome
7º. The Post - A Guerra Secreta
8º. Corra!
9º. Lady Bird - A Hora de Voar

Comentários

  1. Quase todos os anos eu me dedico a assistir aos filmes de animação e curtas-animados, esse ano resolvi ver os da categoria "Melhor Filme", mas acebei não vendo tudo. Assisti apenas Três Anúncios Para um Crime, A Forma da Água, O Destino de uma Nação e Lady Bird. Esse não foram os melhores filmes que já vi no Oscar (alias, achei os filmes desse ano bem inferiores), mas vou assistir e ficar na torcida por O Destino de Uma Nação (que foi o que mais gostei) <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nanda!
      Eu queria ter visto as animações e os filmes estrangeiros tb mas não deu. Deixei para vê-los depois e priorizei os indicados a melhor filme mesmo.
      Desses que vc viu eu só não gostei do Lady Bird, os outros eu amei, na verdade! :)
      Vamos ver hoje o que vai dar!
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi, Mi!
    Eu não consegui assistir todos! Falhei. rs Acabei desviando e assistindo de outras categorias e ficou incompleto. Mas discordamos em alguns. rs Lady Bird que, apesar de eu considerar um roteiro bem simples, gostei muito da abordagem do relacionamento mãe e filha, do quanto a mãe é passiva-agressiva e, ao mesmo tempo, carrega o mundo nas costas enquanto o pai está desempregado jogando paciência na sala, a filha desnorteada em uma fase que para alguns é tranquila e para outros é um turbilhão, os outros filhos em fase de busca de emprego... E, tudo, tudo isso nas costas dessa mãe. Que desconta na filha suas decepções, amarguras, frustrações de uma projeção talvez não realizada. Gostei muito. Fora este, vi "Me chame pelo seu nome" e não gostei de uma série de coisas no filme, vou fazer um post mesmo depois do Oscar. Meu ranking - dos que vi - ficou assim:
    1 - Corra! (!!!)
    2 - Três Anúncios para um crime
    3 - Lady Bird
    4 - A forma da água
    5 - Me chame pelo seu nome

    beijos <3

    http://www.aquelaepifania.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eliza!
      Eu vi lá no seu blog que vc tinha gostado de Lady Bird! :) Concordo contigo sobre a mãe, mas pra mim pesou mais o fato de Lady Bird ser um péssimo exemplo, independente das turbulências da adolescência. Sei lá, não me identifiquei com aquele filme mesmo! :/
      Gostei muito de Corra!, muito mesmo. Só que pra mim é só entretenimento, sabe?! Ele não tem a profundidade que espero de um indicado ao Oscar. Mas o filme, em si, é bacana demais.
      Me Chame Pelo Seu Nome, se não fosse tãããão lento, poderia ter sido um dos meus preferidos. :)
      Beijos!

      Excluir
  3. Olá Michelly
    Eu sempre assisto todos os filmes que estão sendo indicados como melhores filmes, porém, esse ano assisti apenas corra, que é incrível! Infelizmente não posso opinar sobre qual ganhará, mas espero que seja bem escolhido!
    Beijos <3

    estanteclassica.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nívea!
      Corra! é tão bizarro que fica legal, né?! kkkkkkk... Como falei no post, gostei do filme mas não gostei da indicação dele pro Oscar. O ator principal, sim, deu um show e mereceu estar concorrendo como melhor ator.
      Vamos ver no que vai dar, tá quase na hora!
      Beijos!

      Excluir
  4. Oi Michelly, eu gosto muito de Dunkirk, queria que tivesse levado o Oscar ou Três anúncios que é um filme incrível <3 E lady Bird tb foi meu menos preferido!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!
      Dunkirk é especial pra mim por vários motivos, alguns bem pessoais, então eu ficaria feliz se ele ganhasse. Mas torcendo mesmo eu tava pra Três Anúncios. De qq forma, não achei ruim A Forma da Água ter vencido não. :)
      Beijos!

      Excluir

Postar um comentário